Tragédia em Pedrógão Grande

Quercus exige apuramento de responsabilidades no incêndio de Pedrógão

Rafael Marchante

A Quercus manifestou hoje "o seu profundo pesar pelas vítimas mortais do incêndio de Pedrógão Grande, Castanheira de Pêra e Figueiró dos Vinhos". Em comunicado, a associação ambientalista entende que é preciso apurar responsabilidades.

A associação deixa críticas aos sucessivos governos por "erros de gestão" e relembra" as más políticas que têm vindo a ser tomadas" na área das florestas.

Os ambientalistas sublinham que não há um ordenamento e uma gestão da floresta sustentável.

A Quercus recorda também que "O eucalipto é já a espécie florestal que ocupa a maior área em Portugal, tendo ultrapassado o pinheiro bravo e o sobreiro, ocupando a escandalosa área de cerca de 900.000 hectares".

Com risco agravado, "uma vez que o eucalipto é muito inflamável e origina incêndios de grande intensidade, agravados pelo facto do vento gerado pelo próprio incêndio projetar para outros locais casca de eucalipto em chamas, dando origem a outras frentes de fogo".