Tragédia em Pedrógão Grande

Pedrógão Grande: "Arguidos foram absolvidos porque demonstraram cumprimento do dever"

Pedrógão Grande: "Arguidos foram absolvidos porque demonstraram cumprimento do dever"
Horacio Villalobos
Os advogados dos arguidos no caso Pedrógão Grande reagem à absolvição.

Os 11 arguidos julgados no processo Pedrógão Grande foram absolvidos esta terça-feira. À saída do Tribunal de Leiria, os advogados garantem que a justiça foi feita e o comandante dos Bombeiros de Pedrógão Grande foi recebido com aplausos.

O advogado do antigo presidente da Câmara de Castanheira de Pêra admite que a acusação foi “completamente infundada e injustificada e que prejudicou gravemente e arrasou os arguidos”.

“É tempo do Ministério Público refletir e ter bem mais cuidado com a formação das acusações”, afirma o advogado Castanheira Neves.

“Os arguidos foram absolvidos, porque demonstraram que cumpriram o seu dever”, disse o advogado João Cluny, representante dos arguidos E-Redes.

O advogado de Valdemar Alves, Manuel Magalhães e Silva, entende que esta “Justiça vem tarde”.

“Torna-se importante que as autoridades centrais de Proteção Civil olhem com muita atenção para esta sentença”

Uma guarda de honra, em particular comandantes de várias corporações, formou um corredor à porta do tribunal de Leiria para manifestar solidariedade com o comandante Augusto Arnaut.

O comandante dos Bombeiros de Pedrógão Grande foi aplaudido à saída do tribunal pelos colegas. Augusto Arnaut diz que Portugal tem muito trabalho a fazer na prevenção de incêndios e que não esperava outra decisão do tribunal.

A advogada de defesa do comandante considera que o tribunal “acolheu a verdade” e admite que hoje “é um dia feliz para o país” e que os “bombeiros podem voltar a confiar na justiça”.

“Como é que se pode evitar uma tragédia destas?”, questiona uma jornalista ao comandante Augusto Arnault, que responde “a natureza prevalece e nem sempre é só com meios que se combate”.

Os arguidos eram o comandante dos Bombeiros Voluntários de Pedrógão Grande, Augusto Arnaut, então responsável pelas operações de socorro, dois funcionários da antiga EDP Distribuição (atual E-REDES), José Geria e Casimiro Pedro, e três trabalhadores da Ascendi (Rogério Mota, José Revés e Ugo Berardinelli).

Últimas Notícias