Vacinar Portugal

Cerca de 200 pessoas chamadas para receber vacina em Sintra, mas centros estavam fechados

Ministério da Saúde garante que "constrangimentos pontuais" foram "imediatamente corrigidos".

Cerca de 200 utentes deslocaram-se aos centros de vacinação, em Sintra, para receberem a vacina contra a covid-19, mas os centros estavam fechados.

A confusão tratou-se de uma falha de comunicação entre a ARS de Lisboa e Vale do Tejo e os serviços partilhados do Ministério da Saúde.

A falha de comunicação criou longas filas de espera no mercado no Cacém. Nos outros centros de vacinação as portas nem abriram.

No total, cerca de 200 pessoas foram afetadas por esta falha. Quem não recebeu a vacina este domingo será contactado para remarcar.

Ministério diz que "constrangimentos pontuais" foram "imediatamente corrigidos"

O Ministério da Saúde admitiu "constrangimentos pontuais" relacionados com convocatórias de alguns utentes, no processo de autoagendamento para a vacinação contra a covid-19, como aconteceu em Agualva, Sintra, garantindo que foram "imediatamente corrigidos".

"Nesta primeira fase do processo de auto-agendamento, com vacinação em 250 pontos diferentes, registaram-se constrangimentos pontuais relacionados com a convocatória de alguns utentes, que foram imediatamente corrigidos", disse fonte oficial do Ministério da Saúde à Lusa.

O gabinete liderado por Marta Temido respondia assim quando questionado sobre a situação verificada hoje em pelo menos três centros de saúde de Sintra, supostamente devido a autoagendamentos para a vacinação contra a covid-19 sem conhecimento prévio das autoridades de saúde locais.

"Para que os utentes que se dirigiram ao Centro de Vacinação COVID-19 (CVC) de Agualva, o ACES Sintra/ARSLVT, em articulação com a SPMS e com a Task Force, desencadeou as medidas necessárias para minimizar os impactos no processo de vacinação", afirmou a tutela.