Vacinar Portugal

Covid-19: primeiro-ministro garante haver vacinas para terceira dose

António Costa diz, também, que prioridade é combate à gripe.

O primeiro-ministro garante que há vacinas contra a covid-19 suficientes para admininistrar a terceira dose, caso venha a ser necessário, e que, para já, os centros de vacinação vão manter-se como estão, dando agora prioridade à vacinação contra a gripe, que arranca segunda-feira.

Durante a próxima semana, a Agência Europeia do Medicamento deve tomar uma decisão quanto à necessidade de uma terceira dose da vacina contra a Covid-19 para maiores de 65 anos, e, depois, cabe à Direção-Geral da Saúde decidir se em Portugal as pessoas dessa faixa etária são vacinadas.

Se a resposta for positiva, o primeiro-ministro garante que o país tem condições para o fazer.

"O que temos preparado com a task force é, em primeiro lugar, que temos vacinas suficientes para qualquer decisão que venha a ser tomada; segundo lugar, que vamos manter os centros de vacinação como eles existem neste momento para dar execução à decisão que venha a ser tomada", referiu António Costa.

Terceira dose coincide com vacina contra a gripe

Caso avance, o processo de vacinação vai coincidir com o da gripe, que arranca na próxima segunda-feira.

Numa primeira fase, vão ser vacinadas pessoas em contextos de maior risco, nomeadamente profissionais do SNS, utentes e profissionais de estabelecimentos de respostas sociais e da rede de cuidados continuados integrados.

"Tem de ser dada prioridade à vacinação da gripe, porque essa é certa, e entre a toma de uma dose de vacina da gripe e a eventual terceira dose da vacina anticovid, têm de mediar pelo menos 14 dias", acrescentou o primeiro-ministro.

O Governo e a task force estão a planear de forma a que, a ser necessário vacinar com uma terceira dose todos os maiores de 65 anos, o processo fique concluído em dezembro.

"Para que pudéssemos chegar, desejavelmente, aos festejos natalícios com todos os elementos do agregado familiar devidamente protegidos", partilha António Costa.

Para agilizar o processo, até haver uma decisão quanto a uma terceira dose da vacina contra a Covid-19, os centros de vacinação mantêm-se abertos.

Veja também: