A vacinação em Portugal e no Mundo

Covid-19. Luz verde dos Estados Unidos para vacina da Johnson & Johnson

Potencial vacina contra a Covid-19 da Johnson & Johnson

Johnson & Johnson

A Johnson & Johnson prometeu entregar cerca de 20 milhões de doses aos Estados Unidos até o final de março.

A vacina de dose única da Johnson & Johnson contra a covid-19 foi formalmente aprovada pelas autoridades de saúde dos Estados Unidos.

A vacina poderá agora ser distribuída nos Estados Unidos e junta-se às da Pfizer/BioNTech e da Moderna, ambas administradas em duas doses.

O regulador norte-americano aprovou o uso de emergência da vacina da Johnson & Johnson para pessoas com idade a partir dos 18 anos.

De acordo com a autoridade do medicamento dos Estados Unidos, a vacina produzida pela farmacêutica Janssen, do grupo Johnson & Johnson, protege contra a covid-19 grave.

Segundo os ensaios clínicos finais, uma dose tem 85% de eficácia contra as manifestações mais graves da doença.

A farmacêutica norte-americana espera ter a vacina aprovada na Europa em março. O fármaco, já contratualizado pela Comissão Europeia, consta do plano de vacinação português.

Deverá ser aprovada na Europa a 11 de março

A vacina da Johnson & Johnson contra a covid-19 deverá ser aprovada na Europa no dia 11 de março.

A informação foi adiantada pela agência de notícias Bloomberg. Será a quarta vacina autorizada pela União Europeia.

BENEFÍCIOS DA VACINA SUPERAM OS RISCOS PARA OS IDOSOS

Os membros do comité de especialistas que avalia vacinas na FDA consideraram unanimemente que os benefícios da vacina superam os riscos para os idosos, e que pode ser adicionada como a terceira vacina disponível para os americanos.

De acordo com o comité consultivo externo, a Johnson & Johnson é segura e eficaz contra o vírus SARS-CoV-2, faltando só a sua autorização de emergencia para ser formalmente confirmada, algo que deve acontecer neste sábado.

66% DE EFICÁCIA

Os ensaios com a vacina J&J mostraram 66% de eficácia contra o coronavírus, contra 94-95% das vacinas existentes, mas 86% de capacidade de evitar casos graves da doença, hospitalizações e mortes, o que poderia ser suficiente para proteger a população.

Alguns dos especialistas reunidos esta sexta-feira lembraram que a necessidade de vacinas torna o candidato J & J necessário, especialmente porque se mostrou seguro e previne suficientemente a doença, enquanto a empresa farmacêutica continua avançando com o plano para melhorar e adaptar para as novas variantes.

A vacina J&J tem as grandes vantagens de requerer apenas uma única dose e não necessitar de temperaturas extremas de congelamento para armazenamento, pois pode ser mantida entre 2 e 8 graus Celsius.

A Johnson & Johnson prometeu entregar cerca de 20 milhões de doses aos Estados Unidos até o final de março.

Os Estados Unidos continuam a ser o país mais afetado a nível global, tanto em número de mortos como de casos, com um total de 508.314 mortes entre 28.413.620 casos recenseados, segundo a contagem da universidade norte-americana Johns Hopkins.

  • "Quando cheguei ao hospital estava a ter um enfarte"

    Olhar pela Saúde

    Anos a fio de uma alimentação à base de gorduras e excesso de sal, tabagismo e sedentarismo fizeram com que José Santos fosse parar a uma cama de hospital aos 48 anos. O diagnóstico: enfarte agudo do miocárdio provocado por colesterol elevado e hipertensão arterial. Vários hábitos tiveram de mudar e as idas ao médico passaram a ser mais frequentes.

    Exclusivo Online

    Bárbara Ferreira

  • 2:33