A vacinação em Portugal e no Mundo

Covid-19: Presidente do Gana foi a primeira pessoa vacinada através do sistema Covax

FRANCIS KOKOROKO/ REUTERS

Nana Akufo-Addo, de 76 anos, recebeu a sua primeira dose da vacina Oxford/AstraZeneca.

O Presidente do Gana, Nana Akufo-Addo, tornou-se esta segunda-feira a primeira pessoa no mundo a receber uma vacina contra a covid-19 financiada pela Covax, o dispositivo que visa proporcionar o acesso a estas vacinas em países de baixos rendimentos.

O Presidente, de 76 anos, cujo país recebeu o primeiro carregamento mundial de vacinas Covax na quarta-feira passada, recebeu a sua primeira vacina Oxford/AstraZeneca, de acordo com imagens transmitidas em direto pela estação pública de televisão do Gana.

"É importante que eu dê o exemplo e mostre que esta vacina é segura ao ser a primeira pessoa a recebê-la, para que todos no Gana se sintam estimulados a ser vacinados", disse o chefe de Estado num discurso.

O sistema Covax visa fornecer este ano vacinas contra a covid-19 a 20% da população de quase 200 países e territórios participantes, e dispõe de um mecanismo de financiamento que permite a 92 economias de baixo e médio rendimento acederem às vacinas.

O sistema foi criado numa tentativa de impedir que os países ricos monopolizassem o acesso às vacinas, que ainda estão a ser produzidas em quantidades demasiado pequenas para satisfazer a procura global.

Fundada pela OMS, em parceria com a Vaccine Alliance (Gavi, presidida pelo antigo primeiro-ministro português José Manuel Durão Barroso) e a Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (Cepi), a Covax tem acordos com fabricantes para o fornecimento de dois mil milhões de doses em 2021 e a possibilidade de comprar ainda mais mil milhões.

O Gana tornou-se na passada quarta-feira a primeira nação do mundo a receber doses de vacinas financiadas pela iniciativa.

Este país de língua inglesa da África Ocidental tem um total acumulado de 84.023 casos de coronavírus desde o início da pandemia, incluindo 607 mortes, mas estes números são subestimados, como em muitos países africanos, onde o número de testes realizados continua a ser baixo.

Além do Presidente, a primeira-dama recebeu hoje também uma primeira injeção.

Esta terça-feira, o restante das 600.000 doses recebidas pelo país deverão ser começar a ser ministradas. O Gana planeia vacinar 20 milhões dos seus 30 milhões de habitantes antes do final do ano.