A vacinação em Portugal e no Mundo

França suspende profissionais de saúde que recusem vacina contra a covid-19

Governo francês decidiu tornar obrigatória a vacinação dos profissionais de saúde.

Em França, a partir desta quarta-feira, ficam suspensos de funções os profissionais de saúde que recusem tomar a vacina contra a covid-19. A medida surge depois de, em alguns países da Europa e nos Estados Unidos, serem fortes e ruidosos os movimentos anti-vacinas.

Perante o risco dos profissionais de saúde poderem transmitir a doença e face a movimentos anti-vacinas, o Governo francês decidiu tornar obrigatória, há algumas semanas, a vacinação dos profissionais de saúde. A medida, anunciada há vários meses, entra em vigor esta quarta-feira.

A questão ética é uma das apontadas para a recusa da vacina, e outras razões vão desde a tradicional insubmissão de setores da sociedade franceses face às imposições do Estado, até à crença de efeitos secundários nunca confirmados científicamente. Pelo meio há aqueles que discordam da necessidade de medidas de saúde pública para conter a pandemia ou ainda quem tenha dúvidas específicas sobre estas vacinas contra a covid-19.

Estima-se que há cerca de 300 mil trabalhadores do setor da saúde que correm agora o risco de suspensão de funções a partir desta semana.

Imunidade dada pela vacina da Johnson & Johnson investigada pela Agência do Medicamento

Entretanto, a Agência do Medicamento francês diz estar a investigar o que considera serem alegadas falhas na imunidade concedidas pela vacina da Johnson & Johnson, com uma eficácia inferior às vacinas de RNA mensageiro.

A autoridade de saúde francesa pondera sugerir uma dose adicional da vacina da Pfizer ou da Moderna para quem tomou a vacina de dose única, de forma a conceder maior proteção contra a variante Delta.

Veja também: