Apoio Social

01.04.2021

Programa Incorpora: mais de mil postos de trabalho durante a pandemia

Mais de 1300 postos de trabalho foram criados, no ano passado, em plena pandemia, em Portugal, no âmbito do “Programa Incorpora” da Fundação ”la Caixa”

Com o objetivo de promover a contratação de pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade, este programa em colaboração com o BPI e o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) estendeu-se a todo o país, passando de 44 para 58 entidades colaboradoras e 113 técnicos que trabalham em rede. Mas estes resultados só se tornaram possíveis devido à colaboração de mais de 500 instituições.

Em consequência da pandemia, que levou ao encerramento de muitas empresas, especialmente dos setores da restauração e do turismo, um elevado número de pessoas aproveitou as oportunidades que surgiram noutras áreas, como nos serviços de limpezas de hospitais, higienização, assistência a pessoas idosas em lares ou ao domicílio, escolas ou refeitórios.

Para os beneficiários do “programa Incorpora” revelaram-se muito importantes as medidas de incentivo e apoio à contratação promovidas pelo IEFP junto de várias empresas. Às que oferecem oportunidades de emprego, o “programa Incorpora” também proporciona instrumentos para o desenvolvimento da sua responsabilidade social, bem como apoios no acesso a incentivos públicos em função do perfil dos beneficiários.

A rede do programa espalhada pelo país partilha informação sobre ofertas de trabalho e acompanha os beneficiários nos processos de seleção e inserção, tanto nas empresas locais como nos processos de recrutamento promovidos por empresas de base nacional.

Contratação de mais de 1300 pessoas em risco ou situação de exclusão

O programa Incorpora visa promover a contratação, por parte das empresas portuguesas, de pessoas em risco ou situação de exclusão. Entre estas, contam-se os jovens NEET (que não estão a trabalhar, nem a estudar ou frequentar qualquer tipo de formação), desempregados de longa duração, com mais de 45 anos, ex-reclusos, ex-toxicodependentes, vítimas de violência doméstica e pessoas com deficiência ou incapacidade e que não têm grandes qualificações ou habilitações.

Com a pandemia de Covid-19, o programa alargou-se. Devido ao aumento do desemprego que atingiu inúmeros setores da economia, passou a acompanhar e a prestar assistência a beneficiários em situação de vulnerabilidade com qualificações superiores e elevada experiência profissional, procurando ofertas laborais que se adaptem a estes novos públicos.

A Fundação ”la Caixa” iniciou em 2018 a sua implantação em Portugal, consequência da entrada do BPI no Grupo CaixaBank. Em 2020, destinou 26 milhões de euros a projetos sociais, de investigação, educativos e de divulgação cultural e científica. A Fundação mantém o seu compromisso de alcançar um investimento de até 50 milhões de euros anuais.