Mais Esperança

Gulbenkian apoia cuidados neonatais em Angola

Gulbenkian apoia cuidados neonatais em Angola
Cerca de uma centena de médicos, enfermeiros e parteiras da Maternidade Lucrécia Paim, em Luanda, de vários centros de saúde e de outros hospitais de Angola, dispõem agora de mais conhecimentos sobre reanimação e cuidados ao recém-nascido. Este foi o tema central de uma formação, em julho, orientada por uma equipa de médicos da Sociedade Portuguesa de Neonatologia que se deslocou a Angola.

Esta formação que incluiu exercícios práticos em manequins, integrou-se no projeto de apoio aos cuidados perinatais apoiado pela Fundação Gulbenkian.

Desde 2017 que a Gulbenkian tem apoiado a formação de profissionais e o funcionamento da unidade de cuidados especiais do recém-nascido na Maternidade Lucrécia Paim.

A evolução da assistência aos bebés recém-nascidos desde a implantação deste projeto foi avaliada pelos médicos formadores que tiveram como referência o diagnóstico realizado em 2018 e a evolução da taxa de mortalidade neonatal (que tem diminuído) ao longo dos últimos anos.

Em 2018 a taxa era de 43,05‰ por mil nados vivos, descendo em 2020 para 31,33‰, o que representa uma diminuição de 12‰ por mil nados vivos, relativamente ao início do projeto.

O balanço apresentado pelos formadores mostrou como este projeto já contribuiu para melhorar a prestação de cuidados especiais aos bebés recém-nascidos naquela maternidade. Permitiu também identificar os principais progressos do desempenho das equipas clínicas do serviço de neonatologia, resultantes da aplicação correta das normas e procedimentos clínicos.