Meteorologia

"O verde voltou": NASA divulga imagens de Portugal visto do espaço

"O verde voltou": NASA divulga imagens de Portugal visto do espaço
Canva

A chuva que tem caído nas últimas semanas ainda não chega mas já deu uma preciosa ajuda. A prova chega do espaço.

Imagens de satélite divulgadas pela NASA, e partilhadas pelo Meteo Trás-os-Montes na sua página no Twitter, mostram a diferença entre setembro e novembro deste ano. O verde está de volta graças aos dias cinzentos das últimas semanas.

Dois meses separam as duas imagens mas as diferenças são (bem) visíveis. Se na imagem de 22 setembro a cor predominante em território nacional é o castanho, na imagem de 25 de novembro a cor dominante é o verde.

“O verde voltou! Assim se vê o nosso país do espaço!”, escreve o Meteo Trás-os-Montes.

A razão para esta evolução está na chuva que tem caído nas últimas semanas e que apesar de ainda não ser suficiente para acabar com a seca e para repor os níveis de algumas barragens, deu já uma preciosa ajuda para garantir, por exemplo a Sul, um ano de abastecimento público de água.

Algarve é uma das regiões do país mais afetada pela seca

A escassez de água no Algarve, uma das regiões do país mais afetada pela seca, é visível nos dados disponibilizados a 4 de novembro pela Águas do Algarve, de acordo com os quais os níveis das três barragens sob sua gestão (Odelouca, Beliche e Odeleite) oscilam entre os 17 e os 14%.

No total, as três barragens têm capacidade para armazenar perto de 280 hectómetros cúbicos de volume útil, mas, a 4 de novembro, apenas estavam disponíveis 45,17 hectómetros cúbicos - 19,89 em Odelouca (15,52%), 18,90 em Odeleite (17,37%) e 06,38 hectómetros cúbicos no Beliche (14,88%).

Situação de seca desagravou-se em outubro

Os dados mais recentes partilhados pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) indicam que a situação de seca meteorológica desagravou-se em Portugal continental durante o mês de outubro, com menos área afetada e menor intensidade.

No final de outubro, 61,9% do território estava em situação de seca fraca (34,3%), moderada (17,9%) e severa (9,7%), enquanto no final de setembro, a situação de seca se espalhava por todo o país. Em situação normal estava 29,1% do território e 9% em chuva fraca.

De acordo com o boletim, disponível no site do IPMA, no final do mês passado já não havia seca meteorológica na região noroeste e em grande parte da região do centro, "após nove a 10 meses nessa situação".

A seca meteorológica mantém-se no interior norte (distritos de Bragança e Vila Real) e parte da região centro (a sul de Coimbra), que estão na classe de seca fraca.

O Alentejo e o Algarve também continuam em seca meteorológica, mas com diminuição da sua intensidade, estando agora na classe de seca moderada. Mantém-se ainda classe de seca severa numa faixa interior do Baixo Alentejo e sotavento Algarvio, explicita o boletim.

Últimas Notícias
Mais Vistos