Mundo

Neandertal e Homem Moderno conviveram até há 40 mil anos nos Picos da Europa

O Homem Neandertal e o Homem Moderno coexistiram nos Picos da Europa, em Espanha, até há 40 mil anos, conclui um estudo arqueológico de uma universidade espanhola em coautoria com Universidade de Oxford, publicado na terça-feira.

Imagem de uma exposição do Museu Neandertal na Croácia / Reuters

Imagem de uma exposição do Museu Neandertal na Croácia / Reuters

© Nikola Solic / Reuters

Os investigadores analisaram depósitos arqueológicos da zona mais alta  do abrigo rochoso, na entrada de uma gruta em La Guelga (Astúrias), e encontraram  materiais atribuídos ao homem anatomicamente moderno entre estratos com  materiais produzidos por Neandertais. 

"Seria uma espécie de sanduíche em que as fatias de pão corresponderiam  a estratos de materiais utilizados pelos Neandertais e o recheio era formado  por materiais deixados por Homens Modernos", explica em comunicado Jesús  F. Jordá, um dos investigadores da Universidade Nacional de Educação à Distância  (UNED). 

A descoberta "confirma a coexistência de ambas as espécies na zona cantábrica,  refere o investigador, segundo o qual "os humanos modernos ocuparam durante  algum tempo a mesma gruta que, antes e depois, foi habitada por grupos de  Neandertais". 

A UNED lembra no comunicado que a região cantábrica é uma das escassas  zonas da península ibérica em que os Neandertais (Homo neanderthalensis)  e os homens modernos (Homo sapiens) chegaram a coexistir há 40 mil anos.

Estudos anteriores constataram que os últimos Neandertais do sul da  península não coexistiram com os humanos modernos. 

O estudo hoje divulgado foi publicado em livro editado pelo Museu Neandertal  de Mettmann, na Alemanha.