Mundo

Jane Goodall, a melhor amiga dos chimpanzés

Jean-Marc Bouju/Associated Press

Antropóloga, primatóloga, etóloga e mensageira da paz das Nações Unidas (ONU). Esta é a história de Jane Goodall, uma mulher que dedicou mais de meio século aos chimpanzés.

Jane Goodall nasceu a 3 de abril de 1934 em Londres, no Reino Unido. Cresceu no seio de uma família de classe média, em Bournemouth, sul de Inglaterra, e esteve sempre rodeada de animais. Aos 11 anos já dizia que ia viver para África. E assim foi. Aos 23 anos viajou para o Quénia para trabalhar com o antropólogo Louis Leakey.

A paixão de Jane Goodall pelos chimpanzés não surgiu "do nada". Quando tinha pouco mais de um ano, o pai ofereceu-lhe um chimpanzé de peluche em homenagem a um animal da mesma espécie que tinha nascido no Jardim Zoológico de Londres. Os amigos dos pais alertaram para a possibilidade do brinquedo provocar pesadelos na criança, por ser tão pequena, mas teve um efeito completamente contrário ao esperado.

Jane Goodall ao lado do seu chimpanzé de peluche "Jubilee"

Jane Goodall ao lado do seu chimpanzé de peluche "Jubilee"

http://www.lessonsforhope.orh

No livro Reasons for Hope: A Spiritual Journey Goodall fala da preocupação dos amigos dos pais.

"Os amigos da minha mãe ficaram horrorizados com o brinquedo, pensaram que ia assustar-me e causar pesadelos"

Atualmente o "Jubilee", nome do peluche, tem um lugar especial na casa da antropóloga em Londres.

Em 1960 o antropólogo Leakey, com quem já trabalhava há três anos, enviou Goodall para o Parque Nacional de Gombe, na Tanzânia, para estudar os chimpanzés selvagens daquela zona. Um projeto que tinha como duração seis meses, tem vindo a prolongar-se até aos dias de hoje.

1997 - Jane Goodall no Jardim Zoológico de Taronga, em Sidney, na Austrália.

1997 - Jane Goodall no Jardim Zoológico de Taronga, em Sidney, na Austrália.

Megan Lewis

Os casamentos

Jane Goodall casou-se duas vezes, a primeira em março de 1964 com o holandês Hugo van Lawick. Desse casamento resultou um filho, Hugo Eric Louis que nasceu em 1967. Em 1974 Goodall divorciou-se e no ano seguinte casou com Derek Bryceso que acabou por morrer em 1980 devido a um cancro. Bryceso era membro do Parlamento da Tanzânia e Diretor dos Parques Nacionais do país.

Jane Goodall com o filho Hugo Louis.

Jane Goodall com o filho Hugo Louis.

AP Images

Em 1997 Goodall fundou o Jane Goodall Institute, uma organização sem fins lucrativos que atua essencialmente na proteção dos chimpanzéns e o seu habitat.

Missões do Jane Goodall Institute

As missões da organização sem fins lucrativos estão descritas no site oficial, são elas:

  • "Investigação não invasiva dos chimpanzés e de outros primatas nos seus habitats naturais e também em cativo, para melhorar as suas condições;
  • Educação e sensibilização dos cidadãos, através de diversas iniciativas como o programa ambiental Roots&Shoots, com mais de 17.000 mil grupos em 130 países, que impulsiona os jovens a protegerem dos seres vivos e a promover o entendimento entre todas as culturas;
  • Conservação da espécie e do meio ambiente, através do desenvolvimento sustentável das comunicadades locais africanas"

A organização com sede em Londres tem 29 escritórios espalhados pelo mundo. O programa educacional Roots&Shoots está implementado em mais de 130 países.

Goodall no cinema

A vida de Jane Goodall já serviu de inspiração para vários filmes e documentários. O mais recente foi o documentário Jane's Jouney que estreou em 2010. O realizador Lorenz Knauer quis mostrar "a viagem da vida" da antropóloga desde a sua infância em Bournemouth, na Inglaterra, até ao sítio onde tudo começou, no Parque Nacional de Gombe, na Tanzânia. O documentário ganhou o prémio de Best Green Film de Berlim e esteve nomeado para o Óscar de melhor documentário em 2012.

Outros filmes/documentários:

  • 2002 Documentário Jane Goodall's Wild Chimpanzees
  • 2008 Documentário Jane Goodall's When Animals Talk
  • 1990 Curta-metraem Chimps: So Like Us

Com mais de 25 livos publicados, inúmeras entrevistas dadas à National Geographic, presenças em conferências sobre os primatas e o meio ambiente, Jane Goodall foi considerada uma das mulheres do século XX com mais impacto a nível científico.

Goodall é doutorada em Etologia pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e tem grau de Doutor Honoris Causa em mais de 45 universidades do mundo.

Questionada em 2010 se acreditava em Deus, a antropóloga respondeu:

"Não sei quem é ou o que é Deus. Mas acredito num poder espiritual maior. Sinto em particular quando estou na natureza. É algo maior e mais forte do que qualquer outra coisa. Sinto-o e isso é suficiente para mim"

Quénia 1997

Quénia 1997

AP Images

PRÉMIOS

Ao longo dos anos Goodall recebeu mais de cem prémios internacionais pelo seu trabalho desenvolvido com os chimpanzés e pela preservação do planeta como forma de proteger a humanidade.

Alguns dos prémios recebidos:

  • 1984 Prémio J. Paul Getty Wildlife Conservation - Por ajudar milhares de pessoas a entenderem a importância da conservação do planeta.
  • 1990 Prémio Kyoto (equivalente ao Prémio Nobel)
  • 1995 Medalha Hubbard da National Geograhic Society
  • 1996 Prémio William Procter
  • 1996 Prémio Caring
  • 2002 Foi nomeada pelo secretário-geral da ONU Kofi Annan como "Mensageira da Paz" das Nações Unidas. Em 2007 a distinção foi confirmada pelo ex-secretário-geral da ONU Ban Ki-moon.
  • 2003 Medalha Benjamin Franklin em Ciências da Vida
  • 2003 Prémio Príncipe das Astúrias de Investigação Científica e Técnica
  • 2004 Prémio Nierenberg
  • 2010 Prémio Bambi
Jane Goodall recebeu o Prémio Príncipe das Astúrias de Investigação Científica e Técnica em 2003, no Teatro Campoamor, em Oviedo, nas Astúrias, Espanha.

Jane Goodall recebeu o Prémio Príncipe das Astúrias de Investigação Científica e Técnica em 2003, no Teatro Campoamor, em Oviedo, nas Astúrias, Espanha.

Felix Ausin Ordonez

O abraço da chimpanzé Wounda

Em 2014 uma chimpanzé fémea que foi devolvida ao seu habitat abraçou Jane Goodall e o vídeo com as imagens desse momento tornou-se viral, chegando a ser relatado pela imprensa internacional. Umas das tarefas do Instituto Jane Goodall é resgatar animais que são feridos por caçadores. Depois de reabilitados, a organização sem fins lucrativos devolve-os ao seu habitat natural. Wounda, a chimpanzé do vídeo, é um desses animais. Foi encontrada num estado muito crítico mas no final conseguiu recuperar, graças à equipa do centro de reabilitação que o Instituto Jane Goodall gere na República do Congo.

"Aqui está a Wounda. Ela quase morreu. E agora está prestes a voltar para este paraíso"

Sobre o abraço de Wounda, a "melhor amiga dos chimpanzés" confessou:

"Foi um momento muito tocante. Uma das coisas mais incríveis que me aconteceram na vida"

Atualmente Goodall viaja cerca de 300 dias por ano com um único obejtivo: a defesa dos chimpanzés e o meio ambiente. A primatóloga é um dos membros do Conselho do santuário para chimpanzés "Save the Chimps", localizado em Fort Pierce, na Florida (EUA).

2016 - Jane Goodall e Jubilee num encontro com o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, no Parlamento da cidade de Ottawa.

2016 - Jane Goodall e Jubilee num encontro com o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, no Parlamento da cidade de Ottawa.

Chris Wattie

E se ficou com vontade de saber mais sobre o trabalho da antropóloga, saiba que pode fazer uma visita guiada ao Parque Nacional de Gombe, na Tanzânia, sem sequer precisar de sair da cadeira. Ora espreite aqui.

  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • Jane Goodall na National Geographic Summit em Lisboa

    País

    Começa hoje a National Geographic Summit em Lisboa, no Teatro Tivoli. O evento que decorre até sexta-feira reúne cientistas e exploradores do mundo inteiro que vão partilhar as suas experiências. A primatóloga Jane Goodall é uma das convidadas e vai falar sobre a preservação do planeta como forma de proteger a humanidade.

  • Os tsunamis que arrasaram a Ásia em 2004 e 2011
    25:20