Mundo

MNE alemão compreende motivo de ausência de Temer da cimeira do G20

Michael Sohn

O ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Sigmar Gabriel, disse esta sexta-feira compreender a decisão do Presidente brasileiro, Michel Temer, em não participar na cimeira do G20, que decorre nos dias 7 e 8 de julho, em Hamburgo, na Alemanha.

"Claro que eu lamento essa ausência, apesar de compreender", disse Gabriel, durante uma conferência de imprensa sobre a reunião do G20, que se realiza sob a presidência rotativa da Alemanha.

A Presidência brasileira anunciou quarta-feira à noite que Michel Temer cancelou a ida à cimeira do G20, que integra as 20 principais economias do mundo, mas a assessoria do chefe de Estado Presidente brasileiro não explicou os motivos do cancelamento da viagem, nem informou se alguém o representará.

Michel Temer foi acusado esta semana pela procuradoria-geral brasileira de suspeita de corrupção passiva, em plena crise política e institucional sem precedentes no Brasil.

O Presidente brasileiro assumiu o cargo em agosto de 2016.De acordo com Sigmar Gabriel, o Brasil é um país "forte", de "grande peso" e uma "voz importante" dentro do grupo e, além disso, é um "destacado parceiro" bilateral da Alemanha, com quem mantém uma "sólida relação".

O chefe da diplomacia alemã referiu-se à crise política brasileira, expressando o desejo de que seja encontrada uma "rápida estabilização" para o país.

"Nenhum país, nenhuma organização estrangeira pode fazer com que o Brasil supere esta situação interna", salientou o ministro alemão, dizendo que "a resposta" e "as soluções" devem partir do próprio Brasil.

Na cimeira do G20, estarão vários chefes de Estado e de Governo, como o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o seu homólogo russo, Vladimir Putin.

Lusa

  • ONU pede ao G20 que priorize políticas climáticas
    0:46

    Mundo

    A responsável das Nações Unidas para as questões climáticas espera que os 19 países mais ricos do mundo e a União Europeia continuem a desenvolver políticas que tenham em conta as alterações ambientais. O apelo foi feito esta quarta-feira, em vésperas de mais uma reunião do G20. que está marcada para dias 7 e 8 de julho em Hamburgo, na Alemanha.