Mundo

Jornais espanhóis destacam a "necessidade de diálogo" entre as forças políticas mais votadas na Catalunha

ENVIADA SIC

Jornais espanhóis destacam a "necessidade de diálogo" entre as forças políticas mais votadas na Catalunha

Os destaques dos jornais espanhóis na manhã após as eleições na Catalunha feito pela jornalista, Catarina Neves, enviada da SIC à Catalunha.

Os jornais nacionais espanhóis noticiam hoje a "vitória histórica" nas eleições catalãs do Cidadãos de Inês Arrimadas, mas "insuficiente" para suster a "renovada maioria" separatista liderada por Carles Puigdemont.

El Pais

"A vitória do Cidadãos não evita a maioria separatista", é o título de primeira página do El País, que em seguida observa que "o histórico triunfo de Arrimadas é insuficiente para remover o independentismo, que alcança a maioria absoluta, com o apoio da CUP [Candidatura de Unidade Popular, extrema-esquerda separatista e antissistema), apesar de ter perdido lugares e percentagem de votos".
O diário de referência espanhol considera que os resultados das eleições regionais de quinta-feira levam a prever "mais turbulências" no futuro, sendo o Cidadãos (unionista, direita liberal) o ganhador com mais de 1,1 milhões de votos e 37 deputados regionais num total de 135, com a vitória "ensombrada" por uma maioria absoluta independentista.
O El País noticia ainda que o Partido Popular (PP, direita) foi "varrido" da Catalunha e "compromete" o futuro do primeiro-ministro Mariano Rajoy e que o Partido Socialista catalão (PSC, associado ao PSOE) "não cumpre as expetativas" e penaliza o bloco constitucionalista.

El Mundo

O El Mundo titula na primeira página que C"Puigdemont sustenta o separatismo apesar do triunfo histórico de Arrimadas", líder regional do Cidadãos que, com 25 % de votos e 37 lugares no parlamento regional, "converte o seu partido no primeiro não nacionalista que ganha uma eleições autonómicas catalãs".
A edição catalã deste diário de Madrid também avança que o ex-presidente do governo regional, Carles Puigdemont, refugiado na Bélgica e que liderou a lista "Juntos pela Catalunha", "supera" Oriol Junqueras, líder da ERC (Esquerda Republicana da Catalunha), apesar do "descalabro" da CUP.
O jornal classifica ainda o resultado do PP de "catastrófico", ao baixar de 11 para três deputados, enquanto o PSC cresce "muito abaixo" do que se esperava.

ABC

O ABC escreve em grande título sobre a "Vitória histórica e agridoce de Arrimadas", tendo-se o Cidadãos "convertido" na força mais votada, "mas o descalabro do PP e os maus resultados do PSC não conseguem evitar uma maioria independentista".

La Razón

La Razón também considera em título de primeira página que "Arrimadas consegue uma vitória histórica mas insuficiente" e, a seguir, que os independentistas "conseguem a maioria", o PP o seu "pior resultado" e assinala a "altíssima" taxa de participação nas eleições de 81,95 %.

La Vanguardia

Finalmente, o jornal nacional catalão La Vanguardia noticia que "Cidadãos ganha, mas a maioria independentista renova-se, considerando "estéril" a vitória de Arrimadas.
A líder do Cidadãos e Puigdemont dividem entre si a maior parte das fotografias que a imprensa espanhola colocou nas suas páginas principais.

Com Lusa

  • PP consegue o pior resultado de sempre na Catalunha

    Mundo

    O cabeça de lista do Partido Popular da Catalunha (PPC) nas eleições regionais, Xavier García Albiol, expressou hoje preocupação com o futuro económico e social da Catalunha, depois de ter elegido três deputados, o pior resultado da sua história.

  • Catalunha corre o risco de ficar ingovernável
    2:17

    Mundo

    Com uma participação histórica, os catalães votaram, esta quinta-feira, nas eleições regionais que vão definir o novo Parlamento.Depois de uma campanha insólita, que se seguiu a um período de enorme agitação social e política, a Catalunha corre o risco de ficar ingovernável.

  • "O Estado espanhol saiu derrotado"
    0:41

    Mundo

    Carles Puigdemont reagiu aos resultados eleitorais da Catalunha, com várias críticas a Mariano Rajoy e recados à União Europeia. O líder do partidos Juntos pela Catalunha diz que o Estado espanhol é o derrotado das eleições.