Mundo

Andamos todos a comer plástico

Eric Gaillard

Pela primeira vez, cientistas encontraram provas de que os humanos estão a ingerir microplásticos na sua alimentação. Já sabíamos que poderíamos estar a ingerir este tipo de partículas através de produtos embalados como garrafas de água ou até mesmo através do peixe, mas nunca ninguém se chegou à frente para confirmar.

Microplásticos encontrados em fezes humanas

A Agência Ambiental da Áustria analisou as fezes de oito participantes humanos, da Europa, do Japão e da Rússia, e encontrou partículas de microplástico em todas. Cerca de 20 partículas de microplástico foram encontradas em cada dez gramas e fezes.

Os investigadores estimam que pelo menos metade da população mundial possa ter microplásticos nas suas fezes.

Philip Schwabl, investigador da Universidade Médica de Viena, diz que "este é o primeiro estudo do género e confirma aquilo que suspeitamos há muito tempo, que os plásticos acabam por chegar ao intestino humano". Ao jornal The Guardian, o investigador que liderou o estudo referiu: "o que é especialmente preocupante é o que isso significa para nós, especialmente pessoas com doenças gastrointestinais".

"Partículas de microplástico podem entrar na circulação sanguínea"

"As partículas mais pequenas de microplástico são capazes de entrar na circulação sanguínea, no sistema linfático e podem até chegar ao fígado", revela Schwabl. "Agora que temos a primeira prova da presença de microplásticos dentro dos humanos, precisamos fazer mais pesquisas para perceber o impacto na saúde humana", sublinhou.

Saiba mais sobre o estudo aqui.

Microplásticos no Guadiana e na Ria Formosa

Nos últimos cinco anos, a Universidade do Algarve tem registado um aumento de microplásticos na água do Guadiana e da Ria Formosa. Os vestígios começam a ser habituais em aves, ameijoas e organismos.