Mundo

Cessar-fogo temporário no Iémen para ajuda humanitária

ABDULJABBAR ZEYAD

O enviado especial nas Nações Unidas ao Iémen saudou esta segunda-feira o anúncio de cessar-fogo feito pelos rebeldes houthis. O movimento xiita, que combate há quatro anos contra uma coligação internacional liderada pela Arábia Saudita, pretende desta forma abrir espaço à formação de corredores humanitários.

De acordo com a ONU, a guerra no Iémen está a provocar uma crise sem precedentes.

O conflito já provocou a morte a mais de 10 mil civis e deixou o país perante a ameaça da fome. Nesta altura, mais de 400 mil crianças sofrem de malnutrição.

  • António Guterres garante que existe consenso para o fim da guerra no Iémen

    Mundo

    O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse hoje que existe um consenso entre as potências mundiais de que é preciso terminar a guerra no Iémen e a questão é agora convencer as partes de que ninguém pode ganhar neste conflito. "Hoje, todos os poderes estão de acordo que é preciso detê-la (a guerra)", disse António Guterres numa entrevista à emissora de rádio "France Inter", sublinhando que esta é uma posição compartilhada pela Rússia, pelos Estados Unidos, pela Europa e por "algumas potências da região".

  • ONU quer fornecer alimentos a 14 milhões de iemenitas

    Mundo

    A Organização das Nações Unidas indicou esta quinta-feira que pretende intensificar os seus programas de assistência ao Iémen para fornecer uma ajuda alimentar a 14 milhões de habitantes, cerca de metade da população do país, ameaçados pela fome.