Mundo

Papa lembra morte de milhões à fome na Ucrânia e pede paz no país

CLAUDIO PERI

O Papa Francisco pediu este domingo paz para a Ucrânia e recordou o aniversário da tragédia do "Holodomor" (holocausto ucraniano), que há mais de 80 anos matou à fome milhões de habitantes daquele país.

"Ontem [sábado], a Ucrânia comemorou o aniversário do 'Holodomor', uma fome terrível causada pelo regime soviético que causou milhões de vítimas. Uma imagem dolorosa", assinalou Francisco à janela do apartamento pontifício depois da oração do Angelus.

Uns sete milhões de ucranianos terão morrido depois de serem desapossados das suas terras pelo regime soviético de Joseph Estaline no chamado "Holodomor" (1932-1933).

"Rezo pela Ucrânia, para que a força da fé possa contribuir a curar as feridas do passado e promover caminhos de paz", acrescentou o líder da Igreja Católica, citado pela agência noticiosa EFE.

Oitenta anos depois dos factos este domingo recordados por Francisco, a Ucrânia luta ainda para o "Holodomor" ser reconhecido pela comunidade internacional como um ato de genocídio.

Também após a recitação do Angelus, Francisco manifestou a sua "grande dor pela notícia do massacre que aconteceu numa mesquita no norte do Sinai".

"Que Deus nos livre destas tragédias e sustente os esforços de todos os que trabalham pela paz", disse o Papa, citado pela agência noticiosa católica Ecclesia.

Um ataque contra uma mesquita no leste do Egito, provocou 305 mortos, entre os quais 27 crianças, segundo um novo balanço divulgado pelas autoridades do país.

Lusa