Mundo

México deportou 98 migrantes que tentaram forçar entrada nos EUA

Adrees Latif

O México deportou 98 migrantes que alegadamente tentaram romper o cerco da Polícia Federal, domingo em Tijuana, com o objetivo de cruzar a fronteira com os EUA, anunciaram esta segunda-feira as autoridades mexicanas.

"Na noite passada, foram disponibilizadas 98 pessoas ao Instituto Nacional de Migração (INM), para deportação", afirmou hoje Gerardo García Benavente, responsável desta organização mexicana, numa entrevista à Televisa.

O responsável explicou que a maioria das 98 pessoas deportadas são de origem hondurenha.García Benavente lembrou que o INM "tem mecanismos de deportação e devolução assistida para os estrangeiros que violem" as leis de imigração.

O mesmo responsável esclareceu que os disparos de gás lacrimogéneo contra os migrantes, que terão ocorrido no domingo, foram perpetrados por agentes de autoridade dos EUA, do lado norte-americano da fronteira.

Benavente acredita que os migrantes que terão passado a fronteira para os EUA deverão ter sido presos, por seis meses, antes de serem deportados.

O responsável do INM não esclareceu se durante este conflito com as autoridades havia mexicanos que procuravam atravessar a fronteira.A Comissão Nacional de Direitos Humanos do México pediu hoje que os migrantes da caravana que se dirige para os EUA evitem "condutas indevidas" e respeitem as leis mexicanas.

A Comissão lamentou os incidentes de domingo, bem como o encerramento das alfândegas, por parte dos EUA, que dificultam a vida nas cidades de ambos os lados da fronteira.

Quarenta e dois migrantes foram presos no lado norte-americano da fronteira com o México, quando tentavam forçar a sua entrada na Califórnia, no domingo.

Nos últimos dias, a divisão de alfândegas dos EUA na região de San Yisidro por várias vezes tem fechado as fronteiras por várias horas, para se preparar para a chegada de uma caravana de refugiados que se dirige desde a América Central.

Domingo, após este incidente entre a polícia e os migrantes, a fronteira voltou a fechar, agora por um período indeterminado.Hoje, o Presidente dos EUA, Donald Trump, voltou a ameaçar que fechará toda a fronteira com o México e instou o governo mexicano a conter a vaga de migrantes que procura território estadunidense.

"O México deve tomar medidas para devolver os migrantes, muitos dos quais são verdadeiros criminosos, aos seus países de origem", afirmou Donald Trump.

Lusa

  • Miguel Albuquerque desafia PSD a “dizer o que quer”
    10:59