Mundo

Guerra obriga pequeno fã de Messi a fugir de casa

HEDAYATULLAH AMID

Um menino afegão deu que falar, há dois anos, depois de aparecer vestido com uma camisola de Lionel Messi feita com um saco de plástico. A imagem correu mundo e levou a criança a um jogo do FC Barcelona, onde conheceu o seu ídolo. Agora, Murtaza Ahmadi volta a dar que falar, mas por outros motivos. A guerra no Afeganistão levou a criança a ter de fugir de casa.

HEDAYATULLAH AMID

A criança afegã surgiu em janeiro de 2016 com uma camisola da Argentina, feita com um saco de plástico, e com o número e nome de Lionel Messi. A imagem correu mundo e chegou ao próprio capitão da seleção argentina e do FC Barcelona, que enviou uma camisola assinada.

"Murtaza viu hoje cumprido um dos seus maiores sonhos. Recebeu camisolas da equipa e uma bola assinada com uma mensagem pessoal de Messi", revelou em comunicado citado pela Lusa a UNICEF, organismo das Nações Unidas do qual o futebolista é embaixador para a Boa Vontade.

Mas a fama levou os talibãs a ameaçar o pequeno fã de Messi. A família de Murtaza recebeu uma carta, na qual dizia que a criança devia estar a estudar o Corão em vez de jogar à bola. A ameaça obrigou a família de Murtaza a mudar-se do Afeganistão para o Paquistão, com medo que o menino fosse raptado.

De volta ao Afeganistão, a família viu-se confrontada com uma nova ameaça: a ofensiva dos talibãs no distrito de Jaghori. Situada na província de Ghazni - considerada a área mais segura e pacífica desde o início do conflito, há 17 anos -, a zona foi invadida este mês pelos talibãs, que obrigaram mais de dois terços da população a fugir em busca de asilo.

"Tenho saudades da nossa casa em Jaghori, não tenho uma bola aqui e não posso jogar futebol, nem sair à rua", disse o menino numa entrevista à agência EFE, em Cabul, onde ele e a família estão refugiados.

HEDAYATULLAH AMID

Em 2016, Murtaza conheceu Messi, num jogo privado, no Qatar. Para além das camisolas autografadas que já tinha enviado, o jogador do Barcelona deu-lhe nesta altura mais uma bola. O pequeno Murtaza entrou em campo e teve de ser o árbitro a retirá-lo, com boa disposição, de perto do ídolo.

O momento pode ser visto no vídeo.

Agora, os olhos de Murtaza enchem-se de lágrimas quando revela que essas coisas tiveram de ficar para trás, em Jaghori.

"Porque fugimos durante a noite e a minha mãe pediu-me que deixasse as camisolas e a bola."

Segundo o jornal The Sentinel, a criança vive com os pais e os quatro irmãos num pequeno quarto de uma casa alugada, que a família divide com um vizinho, no oeste de Cabul.

HEDAYATULLAH AMID

Apesar das forças de segurança afegãs já terem expulsado os talibãs da zona, a família tem medo de voltar à vila que deixou para trás.

  • Criança afegã que conheceu Messi teve que ser retirada do campo pelo árbitro
    1:07

    Desporto

    Uma criança afegã que, há um ano, ficou conhecida por usar uma camisola de Lionel Messi feita de plástico, conheceu finalmente o ídolo. O encontro entre o rapaz de 6 anos e o futebolista argentino aconteceu no Qatar, antes de um particular entre o Al-Ahly e o Barcelona. O pequeno Ahmadi entrou em campo e teve de ser o árbitro a retirá-lo, com boa disposição, de perto do ídolo.