Mundo

Papa expressa "tristeza e preocupação" com o ataque em Estrasburgo

GIUSEPPE LAMI

O Papa dá os seus pêsames aos familiares das vítimas e garante que vai rezar por elas.

O Papa Francisco expressou esta quarta-feira "tristeza e preocupação" com o ataque ocorrido na terça-feira à noite em Estrasburgo, França, no qual morreram duas pessoas e 14 ficaram feridas.

"O Papa expressa, mais uma vez, a sua firme condenação destes atos", lê-se num telegrama enviado ao arcebispo de Estrasburgo, Luc Ravel, citado pela agência de notícias EFE.

Na missiva, assinada, como é habitual, pelo secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin, o Papa dá os seus pêsames aos familiares das vítimas e garante que vai rezar por elas.

Além disso, Francisco dedica "um pensamento especial" aos profissionais e voluntários que socorreram as vítimas.

Um ataque armado perto do Mercado de Natal de Estrasburgo, na terça-feira à noite, provocou pelo menos dois mortos e 14 feridos, sete dos quais em estado grave, segundo o último balanço esta quarta-feira feito pela prefeitura de Bas-Rhin.

O presidente da câmara de Estrasburgo, Roland Ries, tinha confirmado na mesma noite um balanço de quatro mortos avançado pela polícia, antes de o ministro do Interior, Christophe Castaner, numa conferência de imprensa, na madrugada desta quarta-feira, ter revisto a contagem de vítimas mortais para três.

As forças de segurança montaram uma operação de caça ao homem para tentar deter o autor do ataque, que ficou ferido numa troca de tiros com um soldado antes de abandonar o local.

O Ministério Público francês abriu uma investigação por homicídio e tentativa de homicídio relacionada com uma organização terrorista, assim como por associação terrorista.

O Governo francês elevou o nível de alerta no país para "emergência por atentado", com um reforço de controlo nas fronteiras, aumento de segurança nos mercados de Natal e mobilização de meios envolvidos no dispositivo antiterrorismo.

A cidade de Estrasburgo, localizada no nordeste da França, junto à fronteira com a Alemanha, acolhe a sede do Parlamento Europeu.

Lusa

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros