Mundo

Grupo promete construir muro na fronteira dos EUA com donativos

Mohammed Salem

O grupo angariou milhões de dólares online e promete avançar com a construção.

Segundo a agência Associated Press, membros desse grupo estiveram esta semana na zona da fronteira no sul do Texas e reuniram-se com proprietários de terrenos para obter autorizações.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, prometeu na campanha eleitoral construir um muro para impedir a entrada de imigrantes no país, mas os democratas no Congresso opõem-se à medida e não aprovaram, até ao momento, o financiamento do projeto.

Um veterano da Força Aérea, Brian Kolfage, lançou em dezembro uma petição e angariação de fundos na internet intitulada "We The People Will Build The Wall" ("Nós o povo vamos construir o muro") e, em poucos dias, obteve quase 350.000 donativos que ascendem a 20,5 milhões de dólares (cerca de 18 milhões de euros).

Kolfage e outros apoiantes de Trump criaram, entretanto, uma organização sem fins lucrativos, WeBuildtheWall Inc., e deslocaram-se, nessa qualidade, ao sul do Texas.

Numerosos obstáculos legais e ambientais têm feito atrasar os planos da administração Trump, que, enquanto Governo federal, tem o poder, que qualquer outra entidade não tem, de apreender terrenos e contornar leis em nome da segurança nacional.

O grupo reconhece que enfrenta obstáculos, mas Dustin Stockton, um dos seus dirigentes, disse à AP acreditar que mesmo assim vão ser capazes de construir o muro "em meses, não em anos".

"Falámos com várias pessoas que há cinco ou seis anos não estavam interessadas num muro, mas que mudaram de opinião devido ao que veem acontecer na sua terra", disse.

Stockton recusou identificar os proprietários com quem o grupo falou, mas afirmou que a segurança na zona de fronteira está significativamente pior.Especialistas ouvidos pela agência mostram-se céticos.

"Se há um proprietário que quer construir um muro na sua propriedade, suponho que podem convencer a pessoa a deixá-los construir na sua propriedade. [Mas] é extremamente absurdo para alcançar qualquer objetivo", considerou Efren Olivares, advogado de um grupo de proteção de direitos civis que está a mobilizar os proprietários do Texas contra o muro.

A angariação de fundos, até agora, "ainda é uma verba pequenina comparada com o custo de qualquer vedação significativa na fronteira", apontou por seu lado Reece Jones, professor na Universidade do Havai.

Jones dá como exemplo a construção de vedações, já autorizada, no Vale do Rio Grande, em que 22,5 quilómetros de vedação foram orçamentados em 313 milhões de dólares (273 milhões de euros).

Aquele valor representa um custo médio de 12 milhões de euros por quilómetro, menos de metade da verba angariada até agora pelo grupo.

Brian Kolfage prometeu inicialmente doar os fundos angariados ao Governo federal, mas anunciou em janeiro que decidiu em alternativa financiar a construção por privados.Segundo Stockton, o grupo continua a angariar dezenas de milhares de dólares por dia.

"É uma manifestação de frustração de pessoas de todo o país com a incapacidade dos políticos em Washington para fazer o trabalho", declarou.

Lusa