Mundo

Músico R. Kelly alega inocência às acusações de abusos sexuais

R. Kelly foi formalmente acusado de dez crimes de abusos sexuais agravados

O advogado do músico norte-americano R. Kelly interpôs esta segunda-feira em tribunal uma declaração de inocência do seu cliente, acusado de vários crimes de abusos sexuais.

Robert Kelly, que passou o fim de semana na prisão, compareceu esta segunda-feira num tribunal de Chicago, envergando o fato de presidiário cor de laranja, na companhia do seu advogado de defesa, Steve Greenberg.

A próxima audiência está marcada para dia 22 de março.

R. Kelly foi formalmente acusado de dez crimes de abusos sexuais agravados, envolvendo quatro mulheres, incluindo três que eram menores à data em que a acusação alega que os abusos terão ocorrido: pelo menos desde 1998.

R. Kelly, que foi absolvido em 2008 num caso em que era também acusado de pornografia infantil, tem negado as acusações e o seu advogado afirma-se confiante de que o cantor será considerado inocente, adiantando que está a ser negociado o pagamento de uma fiança no valor de 100 mil dólares.

Robert Kelly, de 52 anos, tem negado sempre as acusações de abusos sexuais, mas o caso voltou a ser noticiado em janeiro depois de as autoridades terem investigado novas suspeitas de crime, na sequência de uma série documental exibida no canal televisivo Lifetime.

A procuradora Kim Foxx, do condado de Cook (Chicago), chegou a pedir publicamente que as alegadas vítimas denunciassem formalmente o músico para facilitar as investigações.Músico premiado com três Grammy, R. Kelly começou a carreira na década de 1990 com o álbum a solo "12 Play" e escreveu temas para artistas como Lady Gaga, Celine Dion e Michael Jackson. "I believe I can fly" é um dos temas de sucesso do músico.

Lusa