Mundo

"A derradeira traição" a Michael Jackson

Stefan Wermuth

A afirmação é do sobrinho de Michael Jackson. Taj Jackson diz que o "tio estaria a chorar" perante a "derradeira traição" que é o documentário "Leaving Neverland", lançado esta semana com as novas acusações contra o “rei da pop”.

Nick Ut

Os dois homens que acusam Michael Jackson de abusos sexuais no documentário da HBO, que estreou este domingo, deram uma nova entrevista à cadeia de TV britânica BBC.

Wade Robson e James Safechuck garantem que foram abusados sexualmente centenas de vezes pelo "rei da pop", desde os 7 e os 10 anos de idade.

Novas acusações que têm sido contestadas ferozmente pela família de Michael Jackson.

À rádio 1 Newsbeat, do Reino Unido, Taj Jackson afirmou que o tio "negaria estas acusações" de pessoas que já o tinham traído e que voltaram a fazê-lo, que o roubaram e estão a vender histórias sobre ele" em troca de milhões.

"Tudo por dinheiro" foi um dos slogans do protesto junto à sede do Channel 4. O canal de TV britânico que detém os direitos de transmissão do novo documentário sobre Michael Jackson.

A manifestação aconteceu esta quarta-feira, 6 de março, em Londres.


Taj Jackson tem sido uma das figuras que mais defendem o cantor norte-americano.

Filho de Tito Jackson, Taj criou um crowdfunding para financiar uma série documental que defenda a honra e a imagem do “rei da pop”.

Nesta altura, um mês após ser lançada, a campanha de angariação de fundos já conseguiu reunir mais de 70 mil dólares, dos 777 mil pedidos por Taj Jackson.

O sobrinho do cantor admite que as novas acusações prejudicam a imagem de Michael Jackson, mas não acredita que tenham efeitos permanentes no legado de um dos mais importantes cantores pop de sempre.

"Talvez demore algum tempo. Há casos de pessoas que foram "catalogadas" por algo e que 10 anos depois é divulgada a verdade", afirmou Taj Jackson à rádio britânica.

  • Minutos salva-vidas
    20:48