Mundo

Os atentados terroristas na Europa desde 2015

O tiroteio do passado dia 18 em Utrecht, na Holanda, que fez três mortos e feriu cinco pessoas, considerado como um possível ataque terrorista pelas autoridades, é o mais recente de uma longa série de atentados na Europa. Conheça a lista dos principais ataques com motivação terrorista na Europa, desde 2015.

7 de janeiro de 2015

Um ataque liderado por dois irmãos à sede da revista satírica Charlie Hebdo, em Paris, França, matou 12 pessoas e feriu outras 11, incluindo jornalistas e polícias.

O ataque foi reivindicado pelo grupo jihadista Daesh.

9 de janeiro de 2015

Quatro pessoas morreram durante a tomada de reféns num supermercado em Paris, depois de o autor ter matado um polícia no dia anterior.

O assaltante alegou ligações ao grupo jihadista Daesh.

14 de fevereiro de 2015

Um dinamarquês de origem palestina, que tinha prometido fidelidade ao Daesh, abriu fogo num centro cultural de Copenhaga, na Dinamarca, matando um cineasta, que estava presente numa conferência sobre liberdade de expressão.

À noite, ainda em fuga às autoridades, matou um crente em frente a uma sinagoga.

13 de novembro de 2015

No mais grave atentado terrorista em território francês, o Daesh reivindicou vários ataques na sala de espetáculos Bataclan, nos arredores do estádio nacional e em diversos bares e restaurantes de Paris, que fizeram 130 mortos e mais de 350 feridos.

22 de março de 2016

Um atentado terrorista, reivindicado pelo Daesh, na estação de metro de Maelbeek e no aeroporto de Bruxelas, na Bélgica, fez 32 mortos e mais de 340 feridos.

14 de julho de 2016

No dia nacional em França, um tunisiano numa carrinha dirigiu-se contra a multidão, na Promenade des Anglais, a mais movimentada avenida de Nice, França, provocando 86 mortos e fazendo 450 feridos.

O ataque foi reivindicado pelo Daesh.

26 de julho de 2016

Um padre foi assassinado na sua igreja, em Saint-Etienne-du-Rouvray, França, por dois terroristas que disseram pertencer ao Daesh.

19 de dezembro de 2016

Um tunisiano numa carrinha entrou num mercado de Natal em Berlim, na Alemanha, e fez 12 mortos e 48 feridos, num ataque que foi reivindicado pelo Daesh.

22 de março de 2017

Um britânico convertido ao islamismo subiu o passeio da ponte de Westminster, em Londres, Inglaterra, antes de esfaquear um polícia que o interpelou.

O ataque foi reivindicado pelo Daesh e fez cinco mortos.

7 de abril de 2017

Um homem, do Uzbequistão, conduzindo uma carrinha, avançou sobre uma movimentada rua do centro de Estocolmo, na Suécia, matando cinco pessoas.

22 de maio de 2017

Um atentado suicida, em Manchester, Inglaterra, matou 22 pessoas e feriou outras 100, no final de um concerto da estrela pop norte-americana Ariana Grande.

O ataque foi reivindicado pelo Daesh.

3 de junho de 2017

Três terroristas numa carrinha conduziram sobre uma multidão, na London Bridge, em Londres, Inglaterra, parando o veículo para esfaquearem várias pessoas, fazendo oito mortos, num ataque reivindicado pelo Daesh.

17 de agosto de 2017

Um homem conduzindo uma carrinha dirigiu-se à multidão de pessoas nas Ramblas, a avenida mais turística de Barcelona, Espanha, matando 14 transeuntes e o motorista a quem roubou o veículo.

Poucas horas depois, cinco dos seus cúmplices acionaram um carro-bomba em Cambrils, a sul de Barcelona.

Estes dois ataques, concertados, foram reivindicados pelo Daesh e provocaram, no total, 16 mortos e 125 feridos.

18 de agosto de 2017

Um homem radicalizado pelo Daesh matou duas pessoas e feriu outras oito, em Turku, na Finlândia.

23 de março de 2018

Vários ataques em Carcassonne e em Trebes, França, perpetrados por um homem dizendo pertencer ao Daesh, provocaram quatro mortos e 15 feridos.

29 de maio de 2018

Um agressor radicalizado pelo Daesh matou dois polícias e um estudante, num ataque em Liège, na Bélgica.

11 de dezembro de 2018

Um homem que tinha jurado fidelidade ao Daesh cometeu um atentado num mercado natalício, em Estrasburgo, França, que provocou cinco mortos e 12 feridos.

Com Lusa

  • O que dizem os líderes partidários e cabeças de lista na hora de ir votar

    Europeias 2019

    O apelo ao voto é a tónica dominante em todas as declarações que pode ver e ouvir aqui.