Mundo

Coletes amarelos manifestam-se por toda a França

Charles Platiau

Em Paris, a polícia fez 25 detenções e 20 avisos verbais por transgressões ao perímetro proibido e 8.053 controlos preventivos.

Alguns milhares de "coletes amarelos" manifestaram-se novamente hoje em França, no vigésimo dia de mobilização nacional para exigir mais justiça social, apesar da proibição de protestos em algumas áreas específicas.

Durante a tarde, o Ministério do Interior francês indicou que 5.600 pessoas se manifestaram em França, das quais 1.800 em Paris.

Estes números são inferiores aos anunciados pelo ministério no sábado passado, que foi de 8.300 em todo o país (3.110 na capital) durante a tarde.

Os números finais ainda podem traduzir-se em mais manifestantes. Os números das autoridades são contestados pelos "coletes amarelos", que anunciam seus próprios números a cada semana.

Esse movimento social e apolítico, nascido nas redes sociais, iniciou os protestos em meados de novembro contra a política fiscal e social do Governo francês.

Em Paris, a manifestação chegou ao seu destino, a praça do Trocadéro, ao meio da tarde e não houve incidentes significativos. A polícia fez 25 detenções e 20 avisos verbais por transgressões ao perímetro proibido e 8.053 controlos preventivos.

A polícia de Paris proibiu novamente manifestações nos Campos Elísios, bem como num perímetro que incluiu o palácio do Eliseu e a Assembleia Nacional. Alguns confrontos ocorreram em Avignon (sul) entre manifestantes e polícias, que dispersaram as pessoas do local.

Os confrontos também irromperam no meio da tarde durante a manifestação em Bordeaux (sudoeste), um dos baluartes do movimento.

Equipamentos de construção e tubos de borracha foram incendiados no centro da cidade, segundo a agência de notícias francesa AFP, que está no local.

Em Montpellier (sudeste), dois policiais ficaram levemente feridos, durante uma manifestação que reuniu 1.650 pessoas, segundo a polícia, 2.500, segundo os organizadores.

Lusa