Mundo

Teerão adverte EUA que forças armadas iranianas estão "mais poderosas do que nunca"

Vahid Salemi

O Presidente do Irão, Hasan Rohaní, advertiu hoje os Estados Unidos que as forças armadas iranianas estão "mais poderosas do que nunca" e afirmou que as políticas norte-americanas só provocaram "a destruição" no Médio Oriente.

Num discurso por ocasião do Dia do Exército, o chefe de Estado iraniano salientou que tanto "os céus como as águas" do país estão "mais seguros do que nunca" devido ao trabalho das forças armadas, sobretudo da Guarda Revolucionária do Irão.

A Guarda Revolucionária, criada após o triunfo da Revolução Islâmica de 1979 para proteger o novo sistema teocrático, é a organização militar mais poderosa do Irão e controla vastos setores económicos do país.
Numa decisão inédita, os Estados Unidos declararam, no dia 08 deste mês, a Guarda Revolucionária do Irão como uma organização terrorista.

"O povo esteve e estará unido em apoio à Guarda (...). Insultar os guardiões significa insultar as forças armadas e a grande nação iraniana", declarou Rohaní, perante os participantes do desfile militar realizado no sul de Teerão.

Na sua intervenção, o mandatário elogiou o "papel fundamental" das forças armadas na defesa do país e no apoio à população, nomeadamente durante as recentes inundações que já fizeram pelo menos 78 mortos naquele país.

Também agradeceu às forças armadas o papel na luta contra o terrorismo na Síria e no Iraque, para onde a Guarda Revolucionária enviou conselheiros militares e onde coordenou milícias xiitas na batalha contra o grupo extremista Estado Islâmico.

Sobre a situação nestes países e no Médio Oriente, Rohaní denunciou que os EUA optaram por "apoiar militarmente os terroristas" e que as suas políticas só "trouxeram miséria e destruição" àquela região.

Na opinião do governante, os Estados Unidos "não querem que haja estabilidade na região" e também não querem que o Irão tenha grandes capacidades militares.

Forças terrestres, navais e aéreas desfilaram hoje tanto em Teerão como em outras cidades do país para celebrar o Dia do Exército.

Lusa

  • No coração da Amazónia
    10:18