Mundo

Doentes com Parkinson voltaram a andar com novo tratamento

Andreas Gebert / Reuters

Investigadores canadianos testam estimulação elétrica da medula espinal com bons resultados.

Um tratamento com estimulação elétrica à medula espinal devolveu os movimentos a pacientes com Parkinson, numa experiência realizada na Universidade de Western em Ontário, Canadá, revela a BBC.

Cerca de 25% dos doentes com Parkinson têm dificuldade em andar à medida que a doença vai avançando, muitas vezes acabando mesmo por ficarem paralisados e caírem ao tentarem. Isto porque andar implica o cérebro enviar sinais para a perna fazer o movimento e receber um sinal de volta quando esse movimento está completo. Ora, na doença de Parkinson, esse sinal de retorno ao cérebro é cada vez mais ténue, o que provoca a paralisia e o doente não consegue andar.

Com a estimulação elétrica, esse sinal foi amplificado, permitindo ao paciente andar normalmente.

Um tratamento que, para o professor Mandar Jog da Universidade de Western, trará grandes benefícios.

"A maioria dos nossos pacientes tem a doença há cerca de 15 anos e não consegue andar com confiança há já vários anos", contou à BBC. "Para eles, que estavam confinados em casa, com receio de cair ao andar, poderem agora ir até ao supermercado e até de férias é extraordinário".

A equipa ficou ainda supreendida porque o tratamento com o estímulo elétrico parece ter efeitos duradouros. Mesmo depois do fim das estimulações elétricas, os pacientes continuam a conseguir andar.