Mundo

Justiça dos EUA apreende cargueiro norte-coreano

Os procuradores dos EUA indicaram que fizeram a apreensão com base numa denúncia civil.

A justiça norte-americana anunciou esta quinta-feira a apreensão de um cargueiro norte-coreano acusado de violar as sanções internacionais ao exportar carvão e importar máquinas.

"Esta é a primeira apreensão de um navio de carga por violação de sanções internacionais", indicou o procurador federal de Manhattan, Geoffrey Berman, citado num comunicado.

Geoffrey Berman acusou Pyongyang de "esconder a origem" do cargueiro "Honest Wise", "exportar toneladas de carvão" e importar maquinaria pesada para a Coreia do Norte.

"Este navio anti-sanções está agora fora de serviço", congratulou-se o vice-ministro da Justiça dos EUA, John Demers.

"A Coreia do Norte e as empresas que ajudam a contornar as sanções dos EUA e da ONU devem saber que usaremos todos os meios à nossa disposição para impor sanções internacionais", alertou Demers.

Os procuradores dos EUA indicaram que fizeram a apreensão com base numa denúncia civil.

Segundo as autoridades norte-americanas, os pagamentos de manutenção e equipamentos para o navio foram feitos em dólares, involuntariamente através de bancos dos EUA.

A apreensão do navio ocorre horas depois de os Estados Unidos testarem um míssil intercontinental, no mesmo dia em que a Coreia do Norte terá lançado dois mísseis de curto alcance. A Força Aérea dos EUA negou que o teste de hoje, o segundo em pouco mais de uma semana, esteja relacionado com a situação na Coreia do Norte ou o momento de tensão com o Irão, país junto do qual os norte-americanos reforçaram esta semana a sua presença militar.

Também hoje, militares da Coreia do Sul dizem ter testemunhado o disparo de dois mísseis de curto alcance desde a Coreia do Norte.

O teste com o míssil intercontinental norte-americano faz parte de uma bateria de experiências com este tipo de armas de longo alcance, para verificar a sua aptidão para um possível combate.

A Força Aérea dos EUA faz, normalmente, quatro a cinco testes deste tipo, anualmente.

O teste de mísseis de curto alcance da Coreia do Norte foi o segundo em cinco dias e constitui mais um sinal de que este país estará a retomar o seu programa de armas nucleares.

A confirmação de que se trata de mísseis demonstra o endurecimento da posição de Pyongyang numa altura em que as conversações sobre a desnuclearização da península se encontram estagnadas, depois da Cimeira de Hanói com os Estados unidos.

O lançamento deste tipo de projéteis viola as resoluções das Nações Unidas, que proíbem a Coreia do Norte de testar qualquer tipo de mísseis balísticos, e coincide com a visita a Seul de Stephen Biegun, enviado especial dos Estados Unidos.

Lusa

  • “Vamos a Jogo” acompanhou Luís Filipe Vieira no dia da reconquista
    15:21
  • Visíveis - Ruca
    31:30