Mundo

Coreia do Norte descreve John Bolton como "maníaco da guerra"

Kevin Lamarque/ Reuters

A Coreia do Norte acusou hoje o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, de ser "maníaco da guerra" por afirmar que Pyongyang violou as sanções da ONU após o lançamento de mísseis de curto alcance.


Numa nota da agência de notícias estatal KCNA, um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros norte-coreano descreveu Bolton como "maníaco da guerra" após o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA admitir numa conferência de imprensa no sábado, em Tóquio, que "não há dúvidas" de que os recentes testes com mísseis da Coreia do Norte violaram as resoluções da ONU.

"No que diz respeito às resoluções do Conselho de Segurança da ONU, como já dissemos, representam uma negação escandalosa e total do nosso direito à sobrevivência e ao desenvolvimento. Nunca as reconhecemos nem permitimos que nos restrinjam", indicou o porta-voz.


A Coreia do Norte lançou vários mísseis de curto alcance em 04 e em 09 de maio, em testes supervisionados pelo líder norte-coreano.
Para alguns países, incluindo o Japão, as manobras violaram as resoluções da ONU.


"Os nossos exercícios não tinham ninguém como alvo, mas Bolton certamente tem uma mentalidade diferente das pessoas comuns ao insistir que são uma violação das resoluções", refere a nota da KCNA.


O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou hoje, em Tóquio, que entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte existe um "grande respeito" mútuo, apesar do impasse nas negociações e dos recentes lançamentos de mísseis por Pyongyang.

"Muitas coisas boas vão acontecer com a Coreia do Norte (...) já percorremos um longo caminho", disse Donald Trump.


"Um bom respeito foi construído e sem dúvida existe um grande respeito entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte", insistiu.
No início da visita oficial ao Japão, no sábado, o Presidente norte-americano tinha voltado a minimizar os recentes lançamentos de mísseis por Pyongyang, reiterando confiança no líder norte-coreano, Kim Jong-un.


"A Coreia do Norte disparou algumas armas pequenas, o que perturbou algumas pessoas da minha equipa, mas não a mim", escreveu na rede social Twitter o Presidente norte-americano, que efetua uma visita oficial ao Japão até terça-feira.


"Estou confiante que Kim irá manter a promessa que me fez", acrescentou Trump.

Lusa