Mundo

Pompeo diz que EUA não vão prejudicar esforços para reduzir poluição de plásticos

Issei Kato

Exportações dos resíduos plásticos regulamentadas o mês passado, em Genebra.

O chefe da diplomacia norte-americana, Mike Pompeo, garantiu hoje que os Estados Unidos não irão prejudicar os esforços internacionais para reduzir a poluição de plásticos, com Washington a ser criticado pelos entraves colocados à limpeza dos oceanos.

Questionado numa audiência no Senado sobre se os Estados Unidos estavam a atrasar os esforços internacionais para avançar neste tema, Mike Pompeo respondeu negativamente."Não devemos fazer isso. Eu faria mais para desencorajar se descobrisse que esse é realmente o caso", afirmou.

Cerca de oito milhões de toneladas de resíduos plásticos acabam nos oceanos a cada ano, matando ou ferindo um milhão de aves e mais de 100 mil mamíferos marinhos, segundo dados das Nações Unidas.

O secretário de Estado dos EUA respondeu às perguntas do senador democrata Sheldon Whitehouse, que disse que os parlamentares dos EUA de todas as convicções políticas concordam com a necessidade de controlar a poluição do plástico.

"Eu continuo a ler informações que dizem que estamos a negociar essas questões a nível internacional, mas que são os Estados Unidos que estão a ficar para trás", defendeu o senador.

Cerca de 180 países concordaram no mês passado em Genebra em regular as exportações de resíduos plásticos, numa iniciativa em que os Estados Unidos não participaram.

O Canadá anunciou na segunda-feira que proibirá os plásticos descartáveis até 2021.

Lusa