Mundo

Bombardeamentos do regime na Síria fazem pelo menos 28 mortos

Nas últimas semanas, Idlib tem sido alvo de bombardeamentos quase diários do regime do presidente Bashar al-Assad.

Pelo menos 28 pessoas, sete delas civis, foram mortas em bombardeamentos do regime sírio e do aliado russo no noroeste da Síria, anunciou esta sexta-feira a organização não-governamental Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Os civis foram mortos na quinta-feira, em bombardeamentos do regime no sul da província de Idlib e no norte da província vizinha de Hama, e os 21 combatentes em ataques conjuntos do regime e da aliada Rússia, segundo a ong.

Entre os combatentes mortos figuram jihadistas do grupo Hayat Tahrir al-Sham, dominado pelo antigo braço da Al-Qaeda na Síria, que controla a maioria da região de Idlib.

As forças russas anunciaram na quarta-feira que tinha sido concluída uma trégua entre as forças governamentais e os combatentes de Idlib, negociada entre a Rússia e a Turquia, que apoia alguns grupos que combatem o regime.

Mas a Turquia negou a conclusão de uma trégua e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Mevlut Cavusoglu, disse na quinta-feira que "não é possível" afirmar que haja um cessar-fogo em Idlib, embora haja "esforços sérios e sinceros" para o alcançar.

Nas últimas semanas, Idlib tem sido alvo de bombardeamentos quase diários do regime do presidente Bashar al-Assad.

Desde o final de abril, segundo o Observatório, pelo menos 360 civis morreram devido à violência em Idlib, província com uma população de cerca de três milhões.

Desde o início da guerra na Síria, em 2011, mais de 370.000 pessoas foram mortas.

Lusa