Mundo

Jornalista acusa Trump de assédio sexual em situação ocorrida há 23 anos

Jonathan Ernst

E. Jean Carroll passa a ser a 16.ª mulher a acusar o Presidente dos EUA de assédio sexual.

O Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, é suspeito de violação sexual a uma jornalista, avança esta sexta-feira o jornal The Guardian.

No seu portal na Internet, o diário britânico, que cita a New York Magazine, explica que a jornalista E. Jean Carrol acusou Trump de agressão sexual ocorrida há 23 anos num provador da loja de venda de artigos de luxo Bergdorf Goodman, em Nova Iorque.

A New York magazine confirmou que Carroll contou a duas amigas o sucedido. Uma das amigas aconselhou-a a apresentar queixa na polícia e a segunda disse-lhe para esquecer o incidente, alertando-a para as implicações legais do caso, nomeadamente a mais que provável humilhação perante a equipa de advogados de Trump.

Um alto dirigente da Casa Branca, não identificado, disse à New York Magazine de que a acusação é uma "completa mentira" e uma "história irrealista" que aparece 25 anos depois do incidente ter alegadamente ocorrido "apenas para prejudicar o Presidente".

Carroll, que passa a ser a 16.ª mulher a acusar Trump de assédio sexual, explicou à New York Magazine por que razão demorou tanto tempo a contar o sucedido.

"Receber ameaças de morte, ser retirada à força de casa, ser despedida, arrastada pela lama e juntar-me a 15 mulheres que divulgaram casos credíveis sobre o homem agarrou, importunou, menosprezou, espancou, molestou e agrediu, apenas para o ver torcer, negar, ameaçar e atacá-las, não me parece nada divertido. Além disso, sou uma cobarde", explicou.

Lusa

  • O 16.º episódio do "Polígrafo SIC"
    25:04