Mundo

Vestígios de pinguim gigante encontrados na Nova Zelândia

Canterbury Museum

Animal foi apelidado de "pinguim monstro" pelo Museu de Canterbury.

Os restos de um pinguim gigante, que terá vivido há cerca de 60 milhões de anos, foram descobertos em Canterbury, no sul da Nova Zelândia.

Com 1,60 metros e 80 quilogramas, o animal foi apelidado de "pinguim monstro" pelo Museu de Canterbury, em Christchurch, onde agora pode ser visto, juntamente com outros animais já extintos no país.

No museu, está ainda um dos maiores papagaios do mundo, uma águia gigante ou um morcego também ele gigante.

A descoberta aconteceu em 2018 e foi feita por um paleontólogo amador.

Numa entrevista à BBC, o curador do museu explicou que os pinguins conseguiram atingir este tamanho devido ao desaparecimento dos répteis marinhos gigantes dos oceanos, na mesma altura que os dinossauros desapareceram.

"Acreditamos que, naquela altura, os animais evoluíam muito rapidamente. A temperatura da água na Nova Zelândia era ideal para isso", esclareceu Paul Scofield.

Hoje em dia, a maior espécie de pinguins trata-se do pinguim-imperador, que pode atingir 1,20 metros.

  • Saiba quais são os medicamentos que contêm ranitidina
    0:53