Mundo

Marinha dos EUA confirma que estes vídeos de óvnis são reais - e não eram para ninguém ver

To The Stars Academy / US Navy

São três vídeos provenientes dos arquivos já desclassificados da Marinha que andam a circular na Internet há uns anos.

A Marinha dos EUA reconheceu finalmente que as filmagens que mostram óvnis a cruzar os céus são reais. Afirmam no entanto não saber que objetos são.

São três vídeos provenientes dos arquivos já desclassificados da Marinha que andam a circular na Internet há uns anos. Foram divulgados entre dezembro de 2017 e março de 2018 pela To The Stars Academy of Arts & Sciences.

Neles vêem-se objetos alongados que se movem muito rapidamente e foram captados por avançados sensores infravermelhos. Segundo confirmou o porta-voz da Marinha Joe Gradisher à CNN, são "fenómenos aéreos não identificados".

Nas filmagens de 2004, os sensores bloqueiam um alvo em movimento antes de começar a acelerar (do lado esquerdo da imagem), demasiado rápido para o sensores o voltar a localizar.

"É um drone", diz um dos pilotos ao colega.
"Minha nossa! Estão todos a ir contra o vento".

De acordo com Joe Gradisher, a Marinha incentiva os pilotos a relatar todas as "incursões" que detetarem durante os voos, que classificam como "fenómenos aéreos não identificados", que põem em causa a segurança.

"Essas incursões são frequentes e representam um risco para a segurança do voo dos nossos pilotos e para a segurança de nossas operações", explica.

Estes vídeos que vieram a público são uma ínfima fração das frequentes incursões que são detetadas nos voos de treino da Marinha norte-americana, acrescenta.

"Durante vários anos, os nossos pilotos não relataram essas incursões por causa do estigma associado e às teorias sobre o que pode ou não estar nesses vídeos. A única maneira de descobrir o que são esses 'fenómenos aéreos não identificados' é incentivar os pilotos a denunciá-los quando os virem", conclui Joe Gradisher.

Relatório (pouco) secreto

Um relatório - que não devia ter vindo a público - "preparado por e para os militares" em 2018 explica detalhadamente como o Veículo Aéreo Anómalo (AAV) de 13,7 metros de comprimento e "sem meios visíveis de sustentação" foi visto por vários navios da Marinha dos EUA , bem como pelo piloto de um caça F-18.

"Os AAV desciam 'muito rapidamente' de cerca de 18 mil metros de altitude até aproximadamente 15 metros em questão de segundos", diz o relatório, acrescentando que um piloto percebeu que o objeto agitou as águas causando "ondas espumosas e espuma", o que fez com que parecesse que o oceano estava "a ferver".