Mundo

América do Norte perdeu três mil milhões de pássaros em 50 anos

Vasily Fedosenko / Reuters

Representam 30% do total de pássaros da região.

A população de pássaros da América do Norte diminuiu drasticamente desde 1970 - cerca de um quarto, estimam os investigadores num estudo publicado na revista científica Science.

Os mais afetados são os pássaros do campo, sem dúvida devido à redução dos prados e das terras agrícolas, bem como pela utilização de pesticidas que matam os insetos e afetam toda a cadeia alimentar. Mas os pássaros das florestas e outros estão também em declínio.

Segundo o estudo, 90% das perdas dizem respeito a 12 famílias de pássaros entre as quais pardais, vedelhões, toutinegras, melros e pintassilgos.

Tais números correspondem ao declínio observado noutros lugares, como em França, onde o Observatório Nacional da Biodiversidade estimou o declínio de aves selvagens em 30% entre 1989 e 2017.

O estudo dos EUA combina duas fontes de dados.

A primeira diz respeito a pesquisas anuais que são realizadas a cada primavera, no momento da procriação, por milhares de voluntários que usam sempre o mesmo método desde 1970. Percorrem um itinerário de 40 km pelos campos, páram a cada quilómetrod durante três minutos e contam os pássaros que vêem. Estes dados são depois compilados e analisados pelos cientistas.

A segunda fonte de dados provem de 143 radares que detetam os bandos de aves de maneira durante a migração. Mais da metade das aves da América do Norte migra para o sul dos Estados Unidos ou para a América Central ou do Sul.

Esses dados do radar são menos precisos, mas também mostram uma queda de 13,6% entre 2007 e 2017, com uma margem de erro significativa de 9 pontos

Os patos e os gansos são a grande exceção: os números de indivíduos têm vindo a aumentar desde 1970. Sobretudo graças à tomada de consciência dos caçadores que têm apoiado medidas de proteção, explica à AFP um co-autor de o estudo, o ornitólogo Ken Rosenberg, da Universidade de Cornell e da American Bird Conservancy.

"Por todo o mundo, a intensificação da agricultura e as mudanças na paisagem estão a pressoinar as populações de aves", diz Ken Rosenberg. "Agora vemos campos de milho ou outras culturas, tudo está limpo e mecanizado, não há espaço para pássaros, animais selvagens e natureza".

Os ornitólogos mencionam ainda outros fatores, como gatos domésticos deixados na rua ou as janelas das casas contra as quais os pássaros chocam, uma causa de mortalidade longe de inócua: o número de pássaros mortos nessas colisões foi estimado em 2014 entre 365 milhões e a mil milhão por ano nos Estados Unidos.