Mundo

Guterres pede "máxima contenção" perante ofensiva iminente turca na Síria

Carlo Allegri

O porta-voz do secretário-geral da ONU disse que Guterres está muito preocupado com o atual panorama.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu esta segunda-feira uma "máxima contenção" a todas as partes envolvidas no conflito na Síria, num momento em que a Turquia tem iminente uma operação militar na zona nordeste daquele país.

O porta-voz do secretário-geral da ONU disse que Guterres está muito preocupado com o atual panorama, nomeadamente sobre os potenciais riscos que enfrenta a população civil caso ocorra uma escalada dos combates.

Segundo Stephane Dujarric, o secretário-geral salientou que os civis devem ser protegidos e que todas as partes devem garantir "um acesso humanitário sustentado, desimpedido e seguro aos civis que necessitam".

O porta-voz reforçou que Guterres está a acompanhar a situação no nordeste da Síria "com grande preocupação" e que as Nações Unidas continuam empenhadas e envolvidas "com todos os principais atores" do conflito.

Questionado em particular sobre os planos da Turquia de transferir pessoas (refugiados) para uma "zona-tampão" (de segurança) em território sírio, Stephane Dujarric realçou que é importante que qualquer zona criada não afete o direito das pessoas de procurar asilo.

Também afirmou que "é muito importante" que as pessoas mantenham a sua liberdade de movimento.

Washington anunciou no domingo que tropas norte-americanas no norte da Síria serão retiradas da fronteira com a Turquia, que tem iminente uma operação militar na zona.

Estados Unidos e Turquia acordaram em agosto último criar uma "zona de segurança", separando a fronteira turca de territórios no norte sírio controlados pelos curdos, nomeadamente a milícia Unidades de Proteção Popular (YPG), aliada de Washington e considerada terrorista por Ancara.

Os turcos têm mostrado insatisfação pelo que consideram a inação de Washington em concretizar o acordo e têm ameaçado aplicá-lo sozinhos.

No domingo, a Casa Branca disse que as forças norte-americanas "não apoiarão nem se envolverão na operação".

Esta segunda-feira, o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, admitiu que uma ofensiva turca pode ser lançada a qualquer momento no norte da Síria.

"Há uma frase que repetimos o tempo todo: poderíamos entrar (na Síria) em qualquer noite sem aviso prévio. Está absolutamente fora de questão tolerarmos as ameaças desses grupos terroristas", disse Erdogan numa conferência de imprensa.

Também hoje, o Presidente norte-americano, Donald Trump, justificou a decisão norte-americana, dizendo que quer deixar aos protagonistas regionais a tarefa de "resolver a situação".

Lusa

  • Uma “má vizinhança” que durou 20 anos e um homicida que se diz inocente
    22:23