Mundo

Mais de 20 civis mortos desde início de ofensiva turca na Síria

Ismail Coskun

Um dos objetivos da operação da Turquia é criar uma zona tampão de cerca de 30 quilómetros de extensão a partir da sua fronteira no norte da Síria.

Mais de 20 civis, incluindo um bebé, foram mortos dos dois lados da fronteira desde o início na quarta-feira da ofensiva turca contra uma milícia curda no nordeste da Síria, segundo organizações e autoridades turcas e curdo sírias.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) indicou que oito civis foram mortos na quarta-feira em ataques aéreos e disparos de artilharia do exército turco, enquanto as Forças Democráticas Sírias (FDS, aliança liderada por curdos) disseram que hoje já foram mortos nove civis.

Disparos feitos a partir da Síria contra as províncias turcas de Sanliurfa e Mardin mataram hoje seis civis, incluindo um bebé de nove meses e uma rapariga de 11 anos, e feriram várias dezenas.

"Um bebé sírio de nove meses, Muhammed Omar, e um funcionário (turco) ligado ao Departamento do Tesouro, Cihan Gunes, caíram como mártires", declararam hoje num comunicado as autoridades da província de Sanliurfa, adiantando que foram hospitalizados 46 feridos devido aos disparos.

A última vítima mortal é uma rapariga de 11 anos, que foi atingida por estilhaços de obus quando brincava na rua, indicou a mesma fonte num outro comunicado.

A televisão estatal turca TRT deu conta de outros três civis mortos, na vizinha província de Mardin.A Turquia lançou na quarta-feira uma operação militar, que inclui alguns rebeldes sírios, contra a milícia curda Unidades de Proteção Popular (YPG), grupo que considera terrorista, mas que é apoiado pelos ocidentais para combater os 'jihadistas' do Estado Islâmico.

O OSDH indicou que pelo menos 19 combatentes das forças curdas foram mortos na quarta-feira, enquanto o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse que 109 membros das milícias curdas foram abatidos desde o início da ofensiva de Ancara.

O Ministério da Defesa turco referiu que "as Forças Armadas turcas alcançaram 181 objetivos da YPG em ataques aéreos e disparos de artilharia no quadro da operação 'Fonte de Paz'".

Segundo várias organizações não-governamentais, entre 60.000 e 90.000 pessoas terão abandonado as suas casas no nordeste da Síria desde o início da ofensiva turca.

"Cerca de 450.000 pessoas vivem a menos de cinco quilómetros da fronteira" com a Turquia "elas correm perigo se todas as partes não utilizarem a máxima contenção e se não tiverem como prioridade a proteção dos civis", assinala uma declaração conjunta de 14 ONG, incluindo os Médicos Sem Fronteiras, a Oxfam e o Conselho Norueguês dos Refugiados, que alerta ainda que um grande número de civis arrisca deixar de ter acesso à ajuda humanitária.

Um dos objetivos da operação da Turquia é criar uma zona tampão de cerca de 30 quilómetros de extensão a partir da sua fronteira no norte da Síria e deslocar para a região uma parte dos 3,6 milhões de refugiados sírios que vivem em solo turco.

A ofensiva de Ancara abre uma nova frente na guerra da Síria que já causou mais de 370.000 mortos e milhões de deslocados e refugiados desde que foi desencadeada em 2011.

Lusa