Mundo

Combates esporádicos no norte da Síria após anúncio de trégua

Ras al-Ain, norte da Síria, na fronteira com a Turquia

Stoyan Nenov / Reuters

Ofensiva turca está suspensa por cinco dias.

Uma organização não-governamental (ONG) afirmou hoje estarem em curso combates esporádicos numa localidade fronteiriça no norte da Síria, um dia depois do anúncio da suspensão da ofensiva turca contra as forças curdas.

"Registam-se tiros de artilharia esporádicos e é possível ouvir disparos na cidade de Ras al-Ain", disse à agência de notícias France-Presse (AFP) o diretor da ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdel Rahmane, depois de a Turquia ter anunciado a suspensão da ofensiva.

Do lado turco da fronteira, um correspondente da AFP afirmou ouvir disparos de artilharia e explosões, ao mesmo tempo que era visível fumo branco do lado sírio. "Uma calma prudente reina nas outras regiões do norte sírio, junto à fronteira", sublinhou Abdel Rahmane.

Ofensiva militar turca na Síria interrompida por cinco dias

Na quinta-feira à noite, em Ancara, o vice-Presidente norte-americano, Mike Pence, anunciou que a Turquia ia suspender, durante cinco dias, a ofensiva na Síria vizinha e mesmo pôr fim à operação, se as forças curdas retirarem de um setor fronteiriço no mesmo período de tempo.

As forças curdas deverão retirar-se de uma zona de 32 quilómetros de extensão, que será transformada numa "zona de segurança", ao longo da fronteira entre a Turquia e a Síria, uma exigência apresentada pelas autoridades turcas há meses. Ancara não precisou de imediato o comprimento deste corredor.

No passado, o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, tinha declarado que a zona se devia estender entre o rio Eufrates e a fronteira com o Iraque, o que significa 480 quilómetros de comprimento. O objetivo é manter as Unidades de Proteção Popular curdas [YPG, que Ancara considera terrorista] à distância e repatriar parte dos 3,6 milhões de refugiados sírios que ainda vivem em território turco.

As força turcas e aliados sírios conquistaram já, desde o início da ofensiva em 09 de outubro, uma faixa junto à fronteira de cerca de 120 quilómetros, entre a cidade de Tal Abyad e o oeste de Ras al-Ain. Na quinta-feira, ocuparam metade de Ras al-Ain, de acordo com o OSDH.

Lusa