Mundo

Ativistas pelo clima expulsos de conferência em Madrid após manifestação

Susana Vera

As dezenas de jovens tinham organizado um concerto de tachos e panelas.

Dezenas de jovens ativistas pelo clima e defensores dos povos indígenas foram esta quarta-feira expulsos do espaço onde se realiza a cimeira do clima, em Madrid, após organizarem uma manifestação para chamar os estados a agirem contra as alterações climáticas.

Cerca de 200 pessoas foram impedidas de aceder à conferência sobre o clima da ONU, em Madrid, após os agentes de segurança os terem forçado a deixar a sala onde se encontravam a manifestar, indicaram várias fontes à agência AFP.

As dezenas de jovens tinham organizado um concerto de tachos e panelas, numa espécie de "cacerolada", inspirada num protesto muito popular na América do Sul, no exterior da sala onde delegações de todo o mundo se reúnem em plenário para discutir o avanço das negociações.

Ao grito de "justiça climática agora" e "vergonha, vergonha, vergonha", os manifestantes tentaram, desta forma, alertar contra um eventual fracasso das negociações sobre o clima, antes de serem afastados pelos serviços de segurança para o exterior.

Os jornalistas não puderam falar com os manifestantes e a ONU não se mostrou disponível para um comentário.

A conclusão das negociações está oficialmente prevista para sexta-feira.

Lusa

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia