Mundo

Primeiro-ministro sudanês sobrevive a um atentado a bomba em Cartum

Mohamed Nureldin Abdallah

O líder político está em segurança.

O primeiro-ministro sudanês, Abdallah Hamdok, sobreviveu a um ataque a bomba na capital do país, Cartum, anunciou hoje o seu chefe de gabinete, Ali Bakhit, numa mensagem nas redes sociais.

"Ocorreu uma explosão enquanto o carro do primeiro-ministro, Abdallah Hamdok, passava, mas graças a Deus ninguém foi afetado", declarou Bakhit numa mensagem publicada na sua conta na rede social Facebook, citado pela agência de notícia AFP.

De acordo com a agência de notícias Associated Press (AP), a família do primeiro-ministro assegurou que o líder político está em segurança. Segundo os meios de comunicação sudaneses, citados pela AP, nenhum grupo assumiu ainda o ataque a Abdallah Hamdok.

Hamdok foi nomeado primeiro-ministro em agosto passado, depois de protestos pró-democracia terem forçado os militares a retirar do poder o Presidente Omar al-Bashir e depois substituí-lo por um Governo liderado por civis.

Os generais militares continuam a ser os governantes de facto do país e demonstraram pouca vontade de entregar o poder à Administração liderada por civis.

Hamdok confirmou que o Governo cooperará com os esforços do Tribunal Penal Internacional (TPI) para processar os procurados por crimes de guerra e genocídio em conexão com o conflito de Darfur no Sudão nos anos 2000.

As autoridades de transição anunciaram em fevereiro que concordaram em entregar al-Bashir ao TPI junto com outros ex-funcionários governamentais procurados pelo TPI.

Quase um ano após a queda de Al-Bashir, o país enfrenta uma terrível crise económica.

A inflação está a 60% e a taxa de desemprego foi de 22,1% em 2019, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O Governo disse que 30% dos jovens do Sudão, que representam mais da metade dos mais de 42 milhões de habitantes, estão sem emprego.

  • 21:07