Mundo

Utilizadores do Tik Tok e fãs de K-pop queriam Trump sozinho no palco

Leah Millis

Eram esperadas um milhão de pessoas, mas só apareceram uns milhares - e mesmo assim as contas dos responsáveis da campanha não batem certo.

A cidade de Tulsa, no estado do Oklahoma, prometia ser um grande regresso de Donald Trump aos comícios após a pandemia de covid-19. De acordo com o presidente da campanha de reeleição do Presidente norte-americano, eram esperadas mais de um milhão de pessoas que se tinham inscrito online para ver e ouvir Trump.

Para dar resposta à multidão de apoiantes, os responsáveis montaram um palco no exterior para que, aqueles que não iam conseguir um lugar na arena do BOK Center pudessem ver não só o Presidente, como também o seu vice, Mike Pence, que tinha garantido a sua presença em Oklahoma. Porém, a multidão esperada não compareceu no local combinado e até foram desmarcados os momentos que deviam acontecer na parte exterior do recinto.

A discrepância de números tem gerado uma grande contorvérsia. Segundo o diretor de campanha, os manifestantes que se encontravam à entrada do recinto impediram o acesso aos apoiantes - uma tese tem sido contrariada pelos media. Já os bombeiros de Tulsa contabilizaram 6.200 bilhetes digitalizados, num recinto que acolhe 19 mil.

Uma questão de perspetiva

Algumas fotografias começaram a ser publicadas nas contas de Twitter de Donald Trump e de Mike Pence, que queriam contrariar algumas manchetes que davam como "desastrosa" a passagem de Trump pelo estado norte-americano.

Perante tais imagens, a discussão adensou-se e muitos foram aqueles que apontaram o facto de o Presidente só escolher imagens de planos apertados, para esconder os milhares de cadeiras azuis vazias.

Escolhemos duas fotografias da agência Reuters que permitem uma perceção a partir de dois ângulos diferentes.

Leah Millis

Leah Millis

Utilizadores do Tik Tok e fãs de K-pop queriam Trump sozinho no palco

A explicação mais óbvia para o fenómeno partiu das redes sociais. Segundo o The New York Times, os utilizadores de Tik Tok e grupos de fãs de música K-pop juntaram-se num movimento para deixar Donald Trump sozinho no meio do palco. Isto aconteceu depois da conta oficial da campanha de reeleição de Trump ter pedido a apoiantes que se registassem gratuitamente através dos telemóveis a 11 de junho. Várias contas de fãs de K-pop começaram a partilhar a informação com os seguidores, incentivando-os a inscreverem-se no comício.

O movimento estendeu-se à aplicação Tik Tok, onde vídeos com milhões de utilizadores encorajavam os utilizadores a fazerem o mesmo. Entre eles estava Mary Jo Laupp, 51 anos, de Fort Dodge, Iowa, que se auto-intitula como "avó do Tik Tok", que conta com quase 15 mil seguidores na plataforma. No vídeo, recomendava a quem quisesse ver o auditório vazio a reservar bilhetes e a deixar o Presidente sozinho no meio do palco.

Em declarações ao jornal norte-americano, Lauup disse que, um dia depois, o vídeo tornou-se viral e que, pelo menos, 17 mil bilhetes foram contabilizados com base nos comentários que recebeu na publicação.

No próximo comício, é provável que os responsáveis pela campanha de Trump utilizem outros meios de ingresso, tendo em conta que alguns os utilizadores aproveitam as redes sociais - sobretudo os mais jovens - para se manifestarem contra o candidato republicano.