Mundo

Estados Unidos saúdam proibição de aplicações online chinesas pela Índia

Hemanshi Kamani

Para a diplomacia norte-americana, esta decisão do Governo indiano "fortalecerá a integridade e a segurança nacional da Índia".

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, saudou esta quarta-feira a decisão da Índia de proibir várias aplicações online chinesas no meio de uma escalada de tensões entre Nova Deli e Pequim.

A Índia proibiu, na segunda-feira, 59 aplicações ligadas à China, alegando que as suas atividades colocam em risco a soberania, defesa e segurança do país, no momento em que as tropas indianas estão envolvidas num conflito com soldados chineses na região do Himalaia.

TikTok, UC Browser, WeChat e o Bigo Live proibidos

Para a diplomacia norte-americana, esta decisão do Governo indiano "fortalecerá a integridade e a segurança nacional da Índia".

As aplicações proibidas incluem o TikTok, UC Browser, WeChat e o Bigo Live, bem como as plataformas de comércio eletrónico Club Factory e Shein, usadas em dispositivos móveis e não móveis conectados à Internet, de acordo com um comunicado do Governo indiano, divulgado esta semana.

O Governo sublinhou as crescentes preocupações sobre segurança de dados e salvaguarda da privacidade de 1,3 biliões de indianos, que representam uma ameaça à soberania e segurança do país.