Mundo

Rússia nega ter fornecido armas aos talibãs no Afeganistão

Rahmat Gul

Declarações surgem após acusações dos Estados Unidos da América.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo afirmou esta quinta-feira que Moscovo nunca forneceu armas aos Talibã no Afeganistão, ao contrário das alegações dos Estados Unidos.

A porta-voz do ministério, Maria Zakharova, rejeitou as acusações feitas pelo secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, que afirmou quarta-feira que tem levantado repetidamente a questão nas conversações que tem mantido com os russos.

"A Rússia apenas forneceu armas ao governo legítimo do Afeganistão, o que é bem conhecido", afirmou Zakharova.

As acusações dos EUA contra o Governo russo

Quarta-feira, Pompeo afirmou que o governo russo tem estado a vender as pequenas armas que têm colocado em risco a vida de norte-americanos nos últimos dez anos.

"Quando me reúno com o meu homólogo russo, digo sempre para pararem" com a venda de armas aos Talibã no Afeganistão, sublinhou Pompeo.

A Rússia, que tem sido um dos países mais críticos às operações militares no Afeganistão, lideradas por Washington, recebeu de braços abertos a proposta de acordo de paz apresentada em fevereiro e que envolve os Estados Unidos e os Talibã, destinada a pôr cobro à prolongada guerra.

Por outro lado, esta quinta-feira, Zakharova não comentou as notícias de que Moscovo estava a oferecer recompensas a quem matar soldados norte-americanos no Afeganistão, apesar de várias autoridades russas já as terem considerado "falsas".

No início da semana, Zamir Kabulov, um alto diplomata que é o representante no Afeganistão do Presidente da Rússia, Vladimir Putin, descreveu as alegações como um reflexo da luta política interna nos Estados Unidos e que podem ter sido lançadas por "forças que não querem deixar o Afeganistão e que estão desejosas de justificar o falhanço" da intervenção militar norte-americana neste país.