Mundo

Incêndios na Sibéria provocam emissões de CO2 sem precedentes

RUSSIA'S AERIAL FOREST PROTECTIO

A Sibéria está a ser atingida por incêndios de grande dimensão provocados pelo aumento das temperaturas.

Os mais recentes incêndios que atingiram a região russa da Sibéria provocaram emissões de dióxido de carbono (CO2) sem precedentes, lançando gases de efeito estufa que aumentaram o aquecimento global, indicou esta quinta-feira o serviço europeu Copernicus.

As conclusões têm como base observações por satélite efetuadas pelos cientistas do organismo europeu (Centro Europeu de Previsões Meteorológicas - Copernicus) que avaliaram as emissões provocadas pelos fogos no círculo Ártico em 244 megatoneladas entre janeiro e agosto.

Em 2019, os incêndios na Sibéria provocaram 181 megatoneladas de CO2.

Os estudos indicam que os valores máximos foram registados entre os passados meses de junho e agosto, na região russa.

A Sibéria está a ser atingida por incêndios de grande dimensão provocados pelo aumento das temperaturas, com o registo de mais cinco graus centígrados em relação aos valor habitual durante os meses de verão.

ALEXEY MALGAVKO

  • 20 anos da tragédia de Entre-os-Rios

    País

    A 4 de março de 2001, a Ponte Hintze Ribeiro, que ligava Entre-os-Rios a Castelo de Paiva, caiu e arrastou para o Douro três carros e um autocarro. Não houve sobreviventes, 59 pessoas morreram, 36 corpos nunca foram encontrados. Acompanhe aqui a emissão especial da SIC Notícias.

    Direto

    SIC Notícias

  • O cartão amarelo que não se percebe 

    Opinião

    Despir a camisola aquando da celebração de um golo é proibido pelas leis de jogo. Penso que toda a gente sabe disso. Aliás, basta apenas que um qualquer jogador cubra a cabeça usando essa peça de equipamento para ser sancionado.

    Duarte Gomes