Mundo

Professor decapitado em Paris tinha mostrado caricaturas de Maomé aos alunos

Caso está a ser encarado como ataque terrorista islâmico.

Nove pessoas estão detidas para interrogatório na sequência da decapitação do professor francês. O caso está a ser tratado como um ataque terrorista, já que o professor terá mostrado caricaturas de Maomé aos alunos para falar da liberdade de expressão.

O autor do crime, de nome Abdullah, nasceu em Moscovo, há 18 anos, e era russo de origem chechena, assinalou Ricard, numa declaração à comunicação social em que deu conta dos principais aspetos da investigação em curso.

A polícia francesa revelou ainda este sábado que o homicida andou à porta da escola a perguntar aos alunos quem era o professor Samuel Paty.

AUTOR TINHA ANTECEDENTES CRIMINAIS

O autor do crime tinha como antecedentes criminais pequenos delitos, cometidos quando era menor, pelo que não despertou a atenção dos Serviços de informação que perseguem o radicalismo islâmico no país.

Os investigadores encontraram no seu telemóvel uma mensagem reivindicativa do ataque, gravada às 12:17, horas antes de cometer o atentado em Conflans-Sainte-Honorine, a 30 quilómetros de Paris.