Mundo

Erdogan aceita demissão de genro do cargo de ministro das Finanças

MURAT KULA/TURKISH PRESIDENTIAL PRESS OFFICE HANDOUT

Berat Albayrak alegou motivos de saúde para abandonar a tutela.

O Presidente turco Recep Tayyip Erdogan aceitou esta segunda-feira o pedido de demissão do seu genro de ministro das Finanças, um cargo que ocupava há dois anos, anunciou a Presidência turca.

"Após exame pelo nosso Presidente, o pedido do ministro das Finanças Berat Albayrak de ser substituído das suas funções foi aceite", indicou a Presidência em comunicado.

No domingo, Berat Albayrak alegou motivos de saúde para a sua decisão.

Segundo observadores, a demissão do ministro poderá estar relacionada com divergências relacionadas com a substituição do governador do Banco central, registada no sábado.

O governador da instituição, Murat Uysal, foi despedido e substituído pelo antigo ministro das Finanças, Naci Agbal.

Neste contexto, a recuperação da libra turca na manhã de hoje surgiu após as declarações de Agbal, que parecem ter sido bem acolhidas pelos mercados.

"O objetivo principal do Banco central é assegurar a estabilidade dos preços" e de "reforçar a comunicação sobre a política monetária no quadro dos princípios de transparência, responsabilidade e previsibilidade", disse em comunicado.

"O Banco central utilizará sem hesitação todas as ferramentas da política para realizar este objetivo de estabilidade dos preços", acrescentou.

Nos últimos dois anos de mandato de Albayrak no cargo de ministro das Finanças a Turquia registou uma crise monetária em 2018 e a libra turca atingiu o seu mais baixo valor histórico face ao dólar e ao euro.

Albayrak foi ministro da Energia entre 2015 e 2018.

Em agosto, Albayrak suscitou reações de indignação ao minimizar a queda da libra turca no decurso de uma entrevista televisiva.