Mundo

Fabricante de aeronaves Embraer sofre ataque informático

Paulo Whitaker

Ataque "resultou na divulgação de dados supostamente atribuídos à companhia na madrugada de 30 de novembro de 2020".

A fabricante aeronáutica brasileira Embraer informou esta terça-feira, em comunicado, que sofreu um ataque informático aos seus sistemas.

A Embraer frisou, em comunicado divulgado aos acionistas, que o ataque "resultou na divulgação de dados supostamente atribuídos à companhia na madrugada de 30 de novembro de 2020".

"O referido ataque informático foi identificado em 25 de novembro de 2020, o qual indisponibilizou o acesso a apenas um único ambiente de arquivos da companhia", diz o mesmo documento.

A empresa informou que iniciou os procedimentos de investigação e resposta ao incidente e isolou de alguns de seus sistemas informáticos para proteção, o que pode provocar impactos temporários em algumas operações.

A Embraer adiantou que continua a operar com o uso de alguns sistemas em regime de contingência, mas sem impactos importantes nas suas atividades.

Por fim, a empresa brasileira referiu que está a colocar "todos os seus esforços para investigar as circunstâncias do ataque, avaliar se existem impactos sobre seus negócios e terceiros, e determinar as medidas a serem tomadas".

A Embraer

A Embraer é fabricante e líder mundial de aeronaves comerciais com até 150 assentos e tem mais de 100 clientes em todo o mundo.

A empresa brasileira mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora, funcionam duas fábricas da Embraer, sendo que a empresa também é acionista da OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal, com 65% do capital.

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão