Mundo

Bebé nasce de um embrião congelado há 27 anos

Molly Gibson nasceu em outubro, nos EUA.

Molly Gibson nasceu em outubro deste ano de um embrião congelado há 27 anos.

Esteve congelado desde 1992 até fevereiro de 2020, altura em que Tina e Ben Gibson decidiram adotá-lo. Segundo a BBC, estima-se que tenha sido batido o recorde do embrião congelado há mais tempo e que resultou num nascimento.

O casal travou uma luta contra a infertilidade durante cinco anos, até conhecerem a possibilidade de adotarem embriões congelados. Foi através de uma reportagem que passou na televisão que os pais de Tina ficaram a saber que era possível e não tardaram em mostrar à filha e ao marido.

Esta foi já a segunda filha do casal que nasceu de um embrião congelado. Em 2017, Tina e Ben concretizaram o sonho de ser pais no momento em que Emma nasceu.

"Se me tivesse perguntado há cinco anos se teria não uma, mas duas filhas, acharia que estava louco", contou Ben à BBC.

Tina e Ben adotaram os embriões através da National Embryo Donation Center (NEDC), uma organização cristã sem fins lucrativos em Knoxville, no estado de Tennessee, nos EUA, que armazena embriões congelados de pacientes de fertilização in vitro que decidem não usá-los e optam por doar.

Famílias como os Gibsons podem assim adotar um dos embriões não usados ​​e ter um filho. Estima-se que nos EUA haja um milhão de embriões humanos congelados, de acordo com o NEDC.

  • Esqueçam o atrás...

    Tenham noção

    O recado de Rodrigo Guedes de Carvalho sobre redundâncias. Tenham noção que dizer ou escrever "há cinco anos atrás", "subir para cima" ou "descer para baixo" é desnecessário.

    SIC Notícias