Mundo

China suspende importação de aves de França devido a surto de gripe aviária

Charlie Neibergall

Mais de 200 mil patos foram abatidos em França para travar a progressão de vários surtos de gripe aviária.

A China anunciou esta quarta-feira que suspendeu a importação de aves de criação provenientes de França devido aos vários surtos de gripe aviária em quintas francesas, situação que já desencadeou o abate de centenas de milhares de animais.

Num comunicado conjunto, os serviços alfandegários e o Ministério da Agricultura chineses informaram que esta medida pretende "defender a segurança das explorações agrícolas do país e evitar a propagação" da influenza aviária altamente patogénica (vulgarmente conhecida como gripe aviária ou gripe das aves).

A nota informativa das autoridades chinesas faz referência a aves de criação, mas também a produtos de origem avícola, como por exemplo o 'foie gras', iguaria feita com fígados de aves gordas.

O anúncio desta quarta-feira é a oficialização da suspensão, que já teve início desde a identificação do H5N8 (estirpe do vírus da gripe das aves) no território francês em novembro passado.

A China não é um grande importador de aves de criação francesas.

Pequim compra principalmente frango e 'foie gras', em proporções bem menores quando comparadas com a importação de carne de porco.

China e França "concordaram em acelerar a cooperação no setor agrícola"

O anúncio de Pequim surge um dia depois de uma reunião, via telefone, entre o ministro da Economia e Finanças francês, Bruno Le Maire, e o vice-primeiro-ministro chinês, Hu Chunhua.

Segundo o ministério tutelado por Bruno Le Maire, os dois representantes "concordaram em acelerar a cooperação no setor agrícola, nomeadamente sobre o assunto chave da demarcação de zonas, sobre o qual deverá ser possível chegar a um acordo nas próximas semanas".

Paris quer que Pequim reconheça o conceito de demarcação, que consiste em limitar uma proibição de exportação a uma área afetada por um surto e não a todo o país.

Inicialmente, as negociações com a China estavam centradas nas importações de carne de porco e no risco de transmissão da gripe suína africana, mas Paris quer agora incluir o setor avícola nas negociações.

Durante a sua última visita à China, no final de 2019, o Presidente francês, Emmanuel Macron, conseguiu uma maior abertura do mercado chinês para este setor em concreto, em particular para o 'foie gras'.

Mais de 200 mil patos abatidos em França para travar surtos

Na terça-feira, o Ministério da Agricultura francês informou que mais de 200 mil patos tinham sido abatidos até ao momento em França para travar a progressão de vários surtos de gripe aviária, tendo ainda avançado que outras 400 mil aves também serão abatidas preventivamente.

Um recente relatório do Ministério da Agricultura francês deu conta que existiam mais de 60 surtos de gripe aviária em França no início deste ano, dos quais 48 na região de Landes (sudoeste), zona geográfica com um grande número de quintas de criação de gansos e patos que são utilizados para a produção de 'foie gras'.

Como medida de prevenção, as autoridades francesas decidiram abater todas as aves de criação, que estejam confinadas em espaços ou não, num raio entre um e três quilómetros de distância das quintas onde foram identificados surtos.