Mundo

Donald Trump absolvido da acusação de "incitamento à insurreição"

Brian Snyder

Sete Republicanos votaram para que fosse declarado culpado, o que representa o maior número de sempre de senadores do partido de um Presidente alvo de destituição.

O ex-Presidente dos Estados Unidos Donald Trump foi este sábado absolvido. O Senado norte-americano pôs fim ao julgamento político por incitamento à insurreição no caso do ataque ao Capitólio a 6 de janeiro.

57 senadores votaram para condenar o ex-Presidente dos Estados Unidos. No entanto, era preciso uma maioria de dois terços dos senadores, ou seja 67 dos 100.

Sete Republicanos votaram para que Trump fosse declarado culpado, o que representa o maior número de sempre de senadores do partido de um Presidente alvo de destituição.

Donald Trump foi absolvido cerca de um mês depois da invasão do Capitólio, que causou cinco mortos.

Pode voltar a concorrer à Casa Branca nas próximas eleições presidenciais, em 2024.

Trump: processo de destituição foi uma fase da "maior caça às bruxas"

Trump já reagiu, em comunicado, para dizer que o movimento que lidera está apenas a começar.

O ex-Presidente dos Estados Unidos começa por agradecer à equipa de advogados pelo trabalho incansável e depois agradece aos senadores que defendederam a Constituição.

Reitera que o processo de destituição - o segundo de que foi alvo - é mais uma fase da "maior caça às bruxas" na história dos Estados Unidos.

O acordo que permitiu que o veredito não fosse atrasado

Os Democratas encerraram o caso contra Donald Trump ao desistirem de um plano de última hora para o depoimento de testemunhas, que poderia ter prolongado o processo e atrasado um veredito.

Democratas e Republicanos acabaram por chegar a um acordo para que fosse registada uma declaração de um legislador Republicano sobre um telefonema acalorado no dia do motim, entre Trump e o líder da minoria na Câmara dos Representantes, Kevin McCarthy, segundo a qual os Democratas estabeleceram a indiferença de Trump perante a violência.

Se Donald Trump fosse condenado, o Senado poderia avançar para uma segunda votação para o impedir de voltar a concorrer a cargos públicos.